domingo, 1 de julho de 2018

Nadabe e Abiú – Dois irmãos presunçosos



Série: Personagens Bíblicos – Mensagem nr 011Levítico 10.1-2
Mensagem do dia 01/07/2018 (Domingo/Manhã) - Igreja Batista Mandacaru

& Levítico 10.1-2: 1 Nadabe e Abiú, filhos de Arão, pegaram cada um o seu incensário, nos quais acenderam fogo, acrescentaram incenso, e trouxeram fogo profano perante o Senhor, sem que tivessem sido autorizados. 2 Então saiu fogo da presença do Senhor e os consumiu. Morreram perante o Senhor. 3 Moisés então disse a Arão: "Foi isto que o Senhor disse: ‘Aos que de mim se aproximam santo me mostrarei; à vista de todo o povo glorificado serei’ ". Arão, porém, ficou em silêncio.

Introdução
Nadabe e Abiú eram os filhos mais velhos de Arão. Não existem muitas informações sobre eles, apenas que eles foram consagrados e instruídos para servirem como sacerdotes, por serem filhos de Arão. Isso demonstra um tempo de preparação e instrução antes que começassem efetivamente seu trabalho como sacerdotes realizado ali no tabernáculo.

E no ápice de suas vidas, encontramos este evento perturbador. Diz o texto que Nadabe e Abiú trouxeram “fogo profano” (ou, “ofereceram fogo estranho”), perante o Senhor e eles morreram imediatamente. Talvez a grande questão é essa: Porque isso aconteceu com eles? Será que Deus foi severo demais com os jovens sacerdotes?

1. Erro no procedimento como sacerdotes.
O texto em si não nos dá a compreensão total acerca do “fogo estranho”, ou seja, embora a infração exata não seja detalhada, fica certo que eles violaram uma prescrição orientada na lei. Podemos identificar isso, olhando para outros textos da Bíblia.

Além de todas as orientações que encontramos na lei de Deus sobre como os sacerdotes deveriam se portar, existe também as regras sobre a oferta de incenso, conforme Êxodo 30.34-38, havia um procedimento correto, uma mistura de essências corretas e o manuseio correto do incenso, vv. 37-38: O incenso era considerado um elemento sagrado e quem não cumprisse tais rituais efetivamente, seria eliminado do seu povo. Assim também é descrito em Levítico 16.12-13.

2. O Tabernáculo era considerado lugar SANTO.
O tabernáculo era um lugar SANTO, lugar da presença de Deus e somente o sumo-sacerdote deveria colocar incenso num incensário, mas Nadabe e Abiú desrespeitaram a hierarquia sacerdotal, isso revela o caráter deles, este comportamento é considerado altivez, arrogância, soberba, presunção.

E não apenas isso, mas outro detalhe importante sobre eles, é que provavelmente eles estivessem bêbados, leiamos Levítico 10.8-11: 8 Depois o Senhor disse a Arão: 9 "Você e seus filhos não devem beber vinho nem outra bebida fermentada antes de entrar na Tenda do Encontro, senão vocês morrerão. É um decreto perpétuo para as suas gerações. 10 Vocês têm que fazer separação entre o santo e o profano, entre o puro e o impuro, 11 e ensinar aos israelitas todos os decretos que o Senhor lhes deu por meio de Moisés".

Deus havia dito, instruído, orientado como tudo deveria proceder, mas eles agiram de maneira relaxada, irreverente e com falta de temor para com Deus. De fato, podemos afirmar: Com DEUS não se brinca! E Nem o sacerdócio deveria ser levado de maneira medíocre, Portanto, essa atitude teve que ser punida para que todos os outros sacerdotes a tomassem como advertência e lição.

Outra pergunta que podemos fazer seria: Como é que as coisas acontecem nos dias de Hoje? Deus, acaso mudou? Ele não age mais como agiu no Antigo Testamento?
1. O que foi que mudou?
Em primeiro lugar, não precisamos mais de sacerdotes, temos acesso direto à Deus, chamamos isso de sacerdócio universal, não precisamos de um ser humano para ter intimidade e comunhão com Deus, para oferecer sacrifícios e pedir perdão. Nós mesmos através da oração podemos fazer isso.

Em segundo lugar, o véu do santuário se rasgou, como vimos, pela fé em Cristo isso nos faz sacerdotes de nós mesmos, tendo como implicação (resultado, consequência), a responsabilidade pessoal, ou seja, por causa disso, somos totalmente responsáveis por nossas decisões, por nossos atos, por nossas atitudes perante Deus e perante as pessoas.

Por isso, temos que ter consciência de nossas responsabilidades como cristãos e não apenas desfrutar dos benefícios da salvação.

2. O que foi que NÃO mudou?
Viver em Santidade, temor, fidelidade e obediência. Há quem diga que vivemos no período da graça e não da lei. Que confusão! O fato de não vivermos debaixo da graça não tira de nós a consciência da responsabilidade de vivermos em santidade, temor, fidelidade e obediência.

Não temos mais a figura do sacerdote como no AT. Temos pastores que tem a missão de ENSINAR, INSTRUIR, ACONSELHAR, ORIENTAR as pessoas sobre a Palavra de Deus e cuidar delas como Cristo orienta em sua Palavra. Mas não é apenas os pastores que precisam viver desta maneira, são todos nós. É claro que fica mais em evidencia o pastor, e os líderes por estarem à frente dos ministérios, contudo, ninguém está isento dessa responsabilidade, todos nós precisamos cumprir.

O que fica mais evidente nos dias de hoje é a “mediocridade” dos líderes. Há muita coisa “estranha” sendo oferecida nos púlpitos, como “falsas promessas, vendas de produtos como se tivesse algum poder de cura ou amuletos”. É nítido o fogo estranho sendo oferecido em muitos altares. Como Nadabe e Abiú fizeram. Mas também, por parte do povo, há muito relaxo, falta de compromisso, falta de consagração de vida, de temor a Deus, de reverencia ao Senhor.

Deus é Santo e ELE nos fez “santos”, remindo, regenerando, justificando, adotando e santificando; Ser santo significa literalmente ser separados por Deus, para o uso exclusivo Dele, para Ele e para a Glória DELE. Exclusividade. Deus não nos divide com outras coisas. Por isso é necessário termos a ideia correta do que é de fato SANTO e do que é PROFANO. O que agrada e o que não agrada a Deus. O que é pecado e o que não é pecado. O que edifica e o que destrói vidas. Isso tudo precisa estar bem claro em nossas mentes e coração.

Conclusão
O apóstolo Paulo fala como deve ser a mente e as atitudes do cristão, além de mostrar os benefícios de ter esta vida, leiamos Romanos 12.1-2:  1 Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. 2 Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

A implicação de aceitar Jesus Cristo é... Ter mudança de mentalidade e de comportamento:
1.      Firmeza na fé – Posicionamento, constância e perseverança na vida cristã.
2.      Clareza – Compreendendo e sabendo explicar o Propósito de Deus para a humanidade.
3.      Amor – A prática do que recebemos, essa é a forma que será transmitido as verdades da Bíblia

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth