domingo, 27 de outubro de 2013

Participando do Crescimento do Reino de Deus


PARTICIPANDO DO CRESCIMENTO DO REINO DE DEUS
“Jesus não apenas acalma a Tempestade, Ele estimula a Fé, a Confiança e a Perseverança dos seus discípulos”.
Mensagem do dia 27/10/2013 (Domingo/Noite)
Igreja Batista Central em Toledo

MARCOS 4.35-41:35 Tarde naquele dia, Jesus lhes disse: Passemos para o outro lado. 36 E, deixando a multidão, eles o levaram consigo no barco, assim como estava. Outros barcos o seguiam. 37 Levantou-se então um grande vendaval, e as ondas arremessavam-se contra o barco, de modo que ele já estava inundando. 38 Jesus, porém, estava na popa, dormindo sobre uma almofada. Os discípulos o despertaram e lhe perguntaram: Mestre, não te importas que pereçamos? 39 E, levantando-se, ele repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te! Aquieta-te! E o vento cessou, e fez-se grande calmaria. 40 Então lhes perguntou: Por que estais tão amedrontados? Ainda não tendes fé? 41 Eles ficaram apavorados e diziam uns aos outros: Quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”.

Introdução
Jesus estava em Cafarnaum à beira do mar da Galiléia. A multidão se reuniu em grande número, por este motivo o Mestre entrou num barco e do barco ensinava o povo por meio de parábolas e explicava tudo a seus discípulos em particular (v. 34). O assunto que está em pauta é “O Reino de Deus”. Por isso Jesus fala sobre:
·         A parábola do semeador 4.1-20;
·         A parábola da candeia 4.21-25;
·         A parábola da semente 4.26-29;
·         A parábola do grão da mostarda 4.30-34;

Mostrando-lhes sobre como seria o crescimento do Seu Reino e como os discípulos deveriam estar preparados para participarem e cooperarem deste crescimento.

Ao entardecer daquele dia o Senhor propõe ir para o outro lado do lago. Era o momento para JESUS ensinar uma lição prática aos discípulos. O que parece é que eles ainda tinham dúvidas sobre a Sua divindade, apesar do ensino e das evidências e experiências que tiveram com o Mestre até aquele momento. O nosso texto é Cristocêntrico e revela claramente a soberania e a autoridade de Cristo sobre todas as coisas, inclusive sobre a natureza.

Podemos observar que em nossas vidas e ‘ministérios’, enfrentamos e iremos enfrentar muitas tempestades, todavia a forma que vamos lidar com elas fará toda a diferença, portanto:

I – Mesmo obedecendo ao Senhor, a tempestade veio (vv. 35-37).
Nunca perdemos em obedecer, mas na obediência JESUS pode nos conduzir por caminhos improváveis, Ele disse: 35 Passemos para o outro lado”. E os discípulos obedeceram. Mas é evidente que uma viagem noturna sempre tem riscos maiores. Mas os discípulos, na condição de pescadores experientes, provavelmente não temeriam qualquer perigo, estavam acostumados com os perigos do mar. Além disso, era importante levar o Mestre para um lugar longe do povo para um merecido descanso.

Os discípulos provavelmente não perceberam que esta viagem poderia ser um prova para sua fé. Os caminhos de Deus muitas vezes surpreendem a seus filhos e os coloca à prova. E o que já era ruim pode piorar! O texto diz: 37 Levantou-se então um grande vendaval, e as ondas arremessavam-se contra o barco, de modo que ele já estava inundando”.

A tempestade chegou para os discípulos, assim como pode chegar a minha vida, em nossas vidas, chegou para eles. As tempestades não avisam, elas vêm! O céu pode até dar sinais, mas na maioria das vezes surgem de formas arrebatadoras, perigosas e inesperadas a ponto de quase “naufragar o nosso barco”.

·         Primeira lição: A obediência não nos livra das terríveis tempestades e dificuldades do dia a dia de nossas vidas.

II – Mesmo em meio à tempestade, Jesus estava no barco com os discípulos (v.38).
“38 Jesus, porém, estava na popa, dormindo sobre uma almofada. Os discípulos o despertaram e lhe perguntaram: Mestre, não te importas que pereçamos?”.

"Jesus estava dormindo”. Esta era uma atitude normal para o “homem” Jesus que passou o dia inteiro ensinando o povo. Ele estava cansado, precisava dormir.  Apesar de experientes com as tempestades no mar da Galiléia, os discípulos percebem que algo diferente está acontecendo. A única alternativa era acordar o Mestre, talvez este tenha uma solução. Eles estão cientes de que o naufrágio podia acontecer a qualquer momento.

“... Mestre! Nós vamos morrer! O Senhor não se importa com isso?” É interessante como em meio as tempestades os discípulos se esqueceram tão rapidamente da ordem que Jesus deu “vamos para o outro lado”, e principalmente se esqueceram de tudo que viveram, viram e presenciaram Jesus realizar até aquele momento. E você acha que conosco é diferente? Não, não! O texto diz que Jesus estava no popa do barco dormindo. Ele disse que iria para o outro lado do lago, isso bastaria!

Essa cena me fez lembrar-se de uma declaração de um dos maiores laterais-direitos de todos os tempos, Carlos Alberto Torres (jogador de futebol), conhecido como o capitão do tri da Copa de 70. Brasil x Itália na Final. Eles estavam ansiosos e bastante nervosos, quando chegaram ao vestiário encontraram o rei Pelé, deitado bem tranquilo com a cabeça na bola. E o Capitão disse: “Se o negão está tranquilo, porque estamos preocupados?” Claro a seleção brasileira foi naquela ocasião tricampeã mundial, ganhou por 4x1 da Itália.

Usei esta comparação, porque os jogadores e talvez o mundo todo tivesse muita “fé” e convicção no que o Pelé poderia fazer em campo, por isso ficaram tranquilos. Mas Pelé é ‘eterno’ apenas na história do futebol, Pelé é o rei do futebol. Mas Pelé não é Jesus. Jesus Cristo é o REI dos reis e o Senhor dos senhores, Jesus é o grande EU SOU, o Todo poderoso. Como os discípulos puderam duvidar do poder de Jesus? Sim, Ele estava dormindo, mas era ELE quem estava no barco, isso fazia toda diferença. Bastava ter fé e Confiar Nele. Isso acontece conosco, porém, tenhamos a certeza de que se Jesus está no “barco” não corremos perigos, somente devemos crer.

·         Segunda lição: Com Jesus no barco tudo vai muito bem.

III – Mesmo com a reprovação dos discípulos, Jesus age e acalma a tempestade (v.39-41).
39 E, levantando-se, ele repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te! Aquieta-te! E o vento cessou, e fez-se grande calmaria”.

Jesus fala com o vento! Jesus não pede ao vento para mudar sua atitude, mas ele ordena ao vento que fique quieto. O vento obedece. Isto prova que Jesus é o Senhor, o Criador, que também o vento e o mar lhe obedecem. Mesmo sem fé, mesmo duvidando, mesmo se esquecendo de quem estava no barco, Jesus acalma a tempestade. Isso nos leva à uma lição importante: Mesmo quando somos infiéis, Ele permanece fiel. Que bom que a fidelidade Dele não depende da nossa.

40 Então lhes perguntou: Por que estais tão amedrontados? Ainda não tendes fé?”

Como já foi dito, os discípulos viram, presenciaram e experimentaram do poder de Cristo na vida de muitos, duas perguntas relevantes. Além de ensinar que é fiel, Jesus demonstrando seu poder ensinou quem ELE É para que os discípulos não tivessem mais dúvidas. Jesus estava forjando o caráter de seus discípulos, pois a missão que estava por vir era bem maior e mais difícil do que uma tempestade.

O medo é natural para o ser humano, que jamais não temeu a morte? Quem jamais não sentiu medo? Mas qual a é a solução para o medo? Confiar no poder de Cristo. Quem nunca vacilou na fé? Quem que em algum momento da vida não duvidou? Acredito que todos nós. O mais interessante é que noutros momentos, apesar desta valiosa lição, os discípulos demonstraram falta de fé e incompreensão do que Jesus ensinou para eles.

41 Eles ficaram apavorados e diziam uns aos outros: Quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”.

Os discípulos precisavam crescer no conhecimento de Deus. Nós todos precisamos igualmente crescer no conhecimento de Deus. Experimentando de Cristo dia após dia. Continuamente precisamos lembrar que para Deus nada PARTICIPANDO DO CRESCIMENTO DO REINO DE DEUS
“Jesus não apenas acalma a Tempestade, Ele estimula a Fé, a confiança e a perseverança dos seus discípulos”.
Mensagem do dia 27/10/2013 (Domingo/Noite) – Igreja Batista Central em Toledo

MARCOS 4.35-41:35 Tarde naquele dia, Jesus lhes disse: Passemos para o outro lado. 36 E, deixando a multidão, eles o levaram consigo no barco, assim como estava. Outros barcos o seguiam. 37 Levantou-se então um grande vendaval, e as ondas arremessavam-se contra o barco, de modo que ele já estava inundando. 38 Jesus, porém, estava na popa, dormindo sobre uma almofada. Os discípulos o despertaram e lhe perguntaram: Mestre, não te importas que pereçamos? 39 E, levantando-se, ele repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te! Aquieta-te! E o vento cessou, e fez-se grande calmaria. 40 Então lhes perguntou: Por que estais tão amedrontados? Ainda não tendes fé? 41 Eles ficaram apavorados e diziam uns aos outros: Quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”.

Introdução
Jesus estava em Cafarnaum à beira do mar da Galiléia. A multidão se reuniu em grande número, por este motivo o Mestre entrou num barco e do barco ensinava o povo por meio de parábolas e explicava tudo a seus discípulos em particular (v. 34). O assunto que está em pauta é “O Reino de Deus”. Por isso Jesus fala sobre:
·         A parábola do semeador 4.1-20;
·         A parábola da candeia 4.21-25;
·         A parábola da semente 4.26-29;
·         A parábola do grão da mostarda 4.30-34;

Mostrando-lhes sobre como seria o crescimento do Seu Reino e como os discípulos deveriam estar preparados para participarem e cooperarem deste crescimento.

Ao entardecer daquele dia o Senhor propõe ir para o outro lado do lago. Era o momento para JESUS ensinar uma lição prática aos discípulos. O que parece é que eles ainda tinham dúvidas sobre a Sua divindade, apesar do ensino e das evidências e experiências que tiveram com o Mestre até aquele momento. O nosso texto é Cristocêntrico e revela claramente a soberania e a autoridade de Cristo sobre todas as coisas, inclusive sobre a natureza.

Podemos observar que em nossas vidas e ‘ministérios’, enfrentamos e iremos enfrentar muitas tempestades, todavia a forma que vamos lidar com elas fará toda a diferença, portanto:

I – Mesmo obedecendo ao Senhor, a tempestade veio (vv. 35-37).
Nunca perdemos em obedecer, mas na obediência JESUS pode nos conduzir por caminhos improváveis, Ele disse: 35 Passemos para o outro lado”. E os discípulos obedeceram. Mas é evidente que uma viagem noturna sempre tem riscos maiores. Mas os discípulos, na condição de pescadores experientes, provavelmente não temeriam qualquer perigo, estavam acostumados com os perigos do mar. Além disso, era importante levar o Mestre para um lugar longe do povo para um merecido descanso.

Os discípulos provavelmente não perceberam que esta viagem poderia ser um prova para sua fé. Os caminhos de Deus muitas vezes surpreendem a seus filhos e os coloca à prova. E o que já era ruim pode piorar! O texto diz: 37 Levantou-se então um grande vendaval, e as ondas arremessavam-se contra o barco, de modo que ele já estava inundando”.

A tempestade chegou para os discípulos, assim como pode chegar a minha vida, em nossas vidas, chegou para eles. As tempestades não avisam, elas vêm! O céu pode até dar sinais, mas na maioria das vezes surgem de formas arrebatadoras, perigosas e inesperadas a ponto de quase “naufragar o nosso barco”.

·         Primeira lição: A obediência não nos livra das terríveis tempestades e dificuldades do dia a dia de nossas vidas.

II – Mesmo em meio à tempestade, Jesus estava no barco com os discípulos (v.38).
“38 Jesus, porém, estava na popa, dormindo sobre uma almofada. Os discípulos o despertaram e lhe perguntaram: Mestre, não te importas que pereçamos?”.

"Jesus estava dormindo”. Esta era uma atitude normal para o “homem” Jesus que passou o dia inteiro ensinando o povo. Ele estava cansado, precisava dormir.  Apesar de experientes com as tempestades no mar da Galiléia, os discípulos percebem que algo diferente está acontecendo. A única alternativa era acordar o Mestre, talvez este tenha uma solução. Eles estão cientes de que o naufrágio podia acontecer a qualquer momento.

“... Mestre! Nós vamos morrer! O Senhor não se importa com isso?” É interessante como em meio as tempestades os discípulos se esqueceram tão rapidamente da ordem que Jesus deu “vamos para o outro lado”, e principalmente se esqueceram de tudo que viveram, viram e presenciaram Jesus realizar até aquele momento. E você acha que conosco é diferente? Não, não! O texto diz que Jesus estava no popa do barco dormindo. Ele disse que iria para o outro lado do lago, isso bastaria!

Essa cena me fez lembrar-se de uma declaração de um dos maiores laterais-direitos de todos os tempos, Carlos Alberto Torres (jogador de futebol), conhecido como o capitão do tri da Copa de 70. Brasil x Itália na Final. Eles estavam ansiosos e bastante nervosos, quando chegaram ao vestiário encontraram o rei Pelé, deitado bem tranquilo com a cabeça na bola. E o Capitão disse: “Se o negão está tranquilo, porque estamos preocupados?” Claro a seleção brasileira foi naquela ocasião tricampeã mundial, ganhou por 4x1 da Itália.

Usei esta comparação, porque os jogadores e talvez o mundo todo tivesse muita “fé” e convicção no que o Pelé poderia fazer em campo, por isso ficaram tranquilos. Mas Pelé é ‘eterno’ apenas na história do futebol, Pelé é o rei do futebol. Mas Pelé não é Jesus. Jesus Cristo é o REI dos reis e o Senhor dos senhores, Jesus é o grande EU SOU, o Todo poderoso. Como os discípulos puderam duvidar do poder de Jesus? Sim, Ele estava dormindo, mas era ELE quem estava no barco, isso fazia toda diferença. Bastava ter fé e Confiar Nele. Isso acontece conosco, porém, tenhamos a certeza de que se Jesus está no “barco” não corremos perigos, somente devemos crer.

·         Segunda lição: Com Jesus no barco tudo vai muito bem.

III – Mesmo com a reprovação dos discípulos, Jesus age e acalma a tempestade (v.39-41).
39 E, levantando-se, ele repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te! Aquieta-te! E o vento cessou, e fez-se grande calmaria”.

Jesus fala com o vento! Jesus não pede ao vento para mudar sua atitude, mas ele ordena ao vento que fique quieto. O vento obedece. Isto prova que Jesus é o Senhor, o Criador, que também o vento e o mar lhe obedecem. Mesmo sem fé, mesmo duvidando, mesmo se esquecendo de quem estava no barco, Jesus acalma a tempestade. Isso nos leva à uma lição importante: Mesmo quando somos infiéis, Ele permanece fiel. Que bom que a fidelidade Dele não depende da nossa.

40 Então lhes perguntou: Por que estais tão amedrontados? Ainda não tendes fé?”

Como já foi dito, os discípulos viram, presenciaram e experimentaram do poder de Cristo na vida de muitos, duas perguntas relevantes. Além de ensinar que é fiel, Jesus demonstrando seu poder ensinou quem ELE É para que os discípulos não tivessem mais dúvidas. Jesus estava forjando o caráter de seus discípulos, pois a missão que estava por vir era bem maior e mais difícil do que uma tempestade.

O medo é natural para o ser humano, que jamais não temeu a morte? Quem jamais não sentiu medo? Mas qual a é a solução para o medo? Confiar no poder de Cristo. Quem nunca vacilou na fé? Quem que em algum momento da vida não duvidou? Acredito que todos nós. O mais interessante é que noutros momentos, apesar desta valiosa lição, os discípulos demonstraram falta de fé e incompreensão do que Jesus ensinou para eles.

41 Eles ficaram apavorados e diziam uns aos outros: Quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”.

Os discípulos precisavam crescer no conhecimento de Deus. Nós todos precisamos igualmente crescer no conhecimento de Deus. Experimentando de Cristo dia após dia. Continuamente precisamos lembrar que para Deus nada é impossível, que todas as coisas estão sujeitas a ELE.

·         Terceira lição: Jesus nos socorre mesmo quando falhamos por no Seu poder.

Conclusão
Como foi mencionado no inicio, o assunto que está em pauta é “O Reino de Deus”. Jesus fez o que fez para mostrar de forma prática como seria o crescimento do Seu Reino e como os discípulos deveriam estar bem preparados para participarem e cooperarem deste crescimento. A fé, a confiança e a perseverança são ingredientes importantes para alcançar o alvo de Cristo.

Jesus está em nosso barco? Se ele estiver, nossos adversários serão vencidos. Pela fé temos a certeza de que sempre estamos acompanhados por Cristo e que ELE nos ajudará assim como ajudou seus discípulos. O apóstolo Paulo escreveu aos romanos: “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes nas tribulações, perseverai na oração” (Romanos 12.12).

Que possamos confiar, descansar e crer que o Senhor está no Controle de tudo inclusive de nossas vidas. Seja qual for a situação, quando o mar está calmo ou mesmo em meio as tempestades. Apenas Creia, Jesus está no barco!

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

 é impossível, que todas as coisas estão sujeitas a ELE.

·         Terceira lição: Jesus nos socorre mesmo quando falhamos por no Seu poder.

Conclusão
Como foi mencionado no inicio, o assunto que está em pauta é “O Reino de Deus”. Jesus fez o que fez para mostrar de forma prática como seria o crescimento do Seu Reino e como os discípulos deveriam estar bem preparados para participarem e cooperarem deste crescimento. A fé, a confiança e a perseverança são ingredientes importantes para alcançar o alvo de Cristo.

Jesus está em nosso barco? Se ele estiver, nossos adversários serão vencidos. Pela fé temos a certeza de que sempre estamos acompanhados por Cristo e que ELE nos ajudará assim como ajudou seus discípulos. O apóstolo Paulo escreveu aos romanos: “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes nas tribulações, perseverai na oração” (Romanos 12.12).

Que possamos confiar, descansar e crer que o Senhor está no Controle de tudo inclusive de nossas vidas. Seja qual for a situação, quando o mar está calmo ou mesmo em meio as tempestades. Apenas Creia, Jesus está no barco!

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

 Clique no link e baixe o slide da Mensagem



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth