domingo, 28 de outubro de 2012

Orando com(o) Neemias


Orando com(o) Neemias
Mensagem do dia 28/10/2012 (Domingo/Manhã) 
Igreja Batista Central em Toledo

INTRODUÇÃO
Neemias estava servindo como copeiro do rei Artaxerxes, na Pérsia (v 11), quando recebeu más notícias de seu povo que tinham voltado e sobrevivido ao cativeiro, v 3: "Aqueles que sobreviveram ao cativeiro e estão lá na província, passam por grande sofrimento e humilhação. O muro de Jerusalém foi derrubado, e suas portas foram destruídas pelo fogo". Neemias sentou-se e chorou, passou dias lamentando, jejuando e orando (v 4). Vamos analisar sua oração registrada em Neemias 1.5-11.

1. Neemias destaca primeiramente a Grandeza, a sua Fidelidade, e que ELE age com misericórdia para com teus servos (v. 5). Quando oramos, falamos quem Deus é? O Exaltamos? O Bendizemos? Bela forma de iniciar uma oração.

2. Neemias reconheceu sua humilde posição (vv. 6-7). Diferente de alguns homens arrogantes de hoje, que agem como se tivessem o direito de dar ordens a Deus, Neemias entrou na presença de Deus com grande humildade. Ele confessou seus próprios pecados e os do povo. Ele não fez, nem podia fazer, exigências. Ele era suplicante, indefeso e humilde, que reconhecia a enorme distância entre o perfeito Deus Santo e os homens pecadores.

3. Neemias baseava sua petição na absoluta fidelidade de Deus (vv. 8-10). Ele não tentou convencer Deus a mudar, porque Deus já é Perfeito e Justo. Ele cumpre suas promessas. O sofrimento do povo não era falha de Deus, mas era o resultado dos seus próprios pecados. Esta mesma fidelidade foi a base da esperança de Neemias. Tão certo como Deus tem cumprido promessas de disciplinar, ele cumpriria as promessas de resgate de seu povo escolhido.

4. Neemaias orou com fé (v. 11). Finalmente, Ele faz seu pedido, pediu a Deus uma porta aberta para que ele ajudasse seus irmãos. Ele estava se preparando para pedir ao rei que o deixasse ir à Jerusalém para reconstruir os muros. Neemias colocou sua confiança no Senhor, que é poderoso para abençoar os planos daqueles que verdadeiramente se dedicam a Ele.

Conclusão
Bela lição! Precisamos orar com o mesmo temor, humildade e fé que Neemias demonstrou. Não temos o direito de fazer exigências a Deus. Pedimos uma porta aberta, contudo estejamos preparados para erguer os muros e se preciso for, motivar outros que estão desanimados e se sentindo derrotados a cooperarem com o mesmo alvo. Assim, aqueles que O servem obedientemente gozam do privilégio de falar com o Deus criador, sustentador e provedor do universo em oração.

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth