segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Santificação I

(Vontade de Deus)


A partir deste texto, estudaremos os aspectos práticos da santificação. Pensando nisso, sabemos que todo cristão é cristão, porque crê em Jesus Cristo como Salvador, Senhor e Deus, se Jesus é Salvador, Senhor e Deus, qual a vontade Dele para a vida do cristão?


“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação...” 1 Tessalonicenses 4.3a


Partiremos do princípio que somos santos por causa da salvação que temos pela graça de Deus e mediante a fé na obra salvífica realizada por Jesus Cristo na Cruz. Agora, andar em santidade e ser santo não significa ser esquisito e chato, nem obedecer a um monte de regrinhas. Faça isso! Não Faça isso! Não, não é isso! Fomos salvos para a Glória de Deus, para glorificar a Deus com nossas vidas, seja em atitudes, palavras ou pensamentos. E a santificação é a vontade de Deus para as nossas vidas, se é a vontade de Deus para as nossas vidas, é “boa, perfeita e agradável” (Rm12.2)


O SIGNIFICADO DA PALAVA SANTIFICAÇÃO


Santificação tem a idéia de separação. O Sábado foi separado (Gn 2.3); O Templo (Ex 29.44); Arão e seus filhos foram separados para o serviço do Senhor (Ex 29.44); O povo de Israel (Ex 33.16); E a Igreja (1Pe 2.9). Santificação é a separação por Deus para Deus. Ou seja, o cristão foi separado por Deus para viver para Ele.


“Já estou Crucificado com Cristo. Portanto, não sou mais eu quem vive, mas é Cristo quem vive em mim. E essa vida que vivo agora no corpo, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim”. (Gálatas 2.20)


Santificação implica em semelhanças. Com toda a certeza você já deve ter sido comparado com alguém de sua família, pois somos semelhantes aos nossos familiares, seja fisicamente e até mesmo temos o mesmo temperamento. Como já foi falado no texto anterior, quando aceitamos a Jesus Cristo nos tornamos filhos de Deus – Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1.12).


Se somos filhos de Deus temos que mostrar a semelhança do Pai, mostrar características Dele – “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é... Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como ele é justo”. (1João 3.2 e 7).


Deus é Santo, se Deus (meu Pai) é santo, eu também tenho que ser Santo, eu tenho que viver em santidade – “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”. (1Pe 1.14-16).


Para refletir:

  •  Você tem demonstrado aos outros que pertence à família de Deus?

  • Qual é a imagem que as pessoas estão vendo através de sua vida da família de Deus?



Que possamos viver em santidade, fomos separados e somos semelhantes ao Pai, portanto, demonstremos isso. Em nome de Jesus. Amém.


No amor de Cristo,


Paulo Berberth


Um comentário:

  1. Muito bom o texto, como sempre e muito bom o tema escolhido tbm...
    Hoje em dia, principalmente no meio da juventude, fala-se mto pouco sobre "SER SANTO", ser separado da podridão do mundo, ser semelhante ao nosso Mestre por excelência. Por isso, precisamos que sejam levantadas pessoas dispostas a irem na contra-mão do mundo, falando sobre santificação, principalmente vivendo a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, segundo Hebreus 12:14. Que o Senhor possa nos encontrar obedientes e dispostos a negármos a nós mesmos, a nossa vontade, pra vivermos de maneira que glorifiquemos o nome dEle. Que ao olharem para nós, possam ser encontradas semelhanças com o nosso Pai...
    Sempre lembrando que o nosso Deus é Santo, e não pode compactuar com o pecado...
    Graça e Paz!!!!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth