sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Cego, mesmo vendo?


Cego mesmo vendo?

Existe um ditado popular que afirma assim: “o que o olho não vê, o coração não sente”, penso que isso pode ser a base para algumas inverdades perigosas. Uma delas, por exemplo, é acreditar que as informações fornecidas pela visão são infalíveis e totalmente seguras, mas não o são, por vezes nossos olhos nos pregam peças.

O apóstolo Pedro, na sua Primeira Carta, não atesta este ditado popular. Na verdade ele propõe uma outra maneira de ver o que não se vê, referindo-se ao vitorioso Jesus Cristo, cuja glória real somente será vista na eternidade, o apóstolo elogia a fé dos leitores que, “mesmo não O tendo visto, vocês O amam; e, apesar de não O verem agora, creem Nele e exultam, com alegria indizível e gloriosa, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas” (I Pedro 1.8-9).

Crer somente depois de ver é agir como Tomé agiu “se eu não tocar, não vou poder acreditar”. Quando os inimigos de Jesus exigiram que Ele mostrasse alguma prova visível do Seu poder, o Mestre simplesmente disse “não”.  O cristianismo é cheio de paradoxo e a realidade da fé não é “ver para poder crer, mas crer para poder ver”.

Não podemos nos esquecer das palavras do apóstolo Paulo que afirma: “o deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” (2 Coríntios 4.4).

Reflita: Muitos estão cegos, mesmo vendo.

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Um comentário:

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth