sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Igrejas “vazias”


Igrejas “vazias”

Fui perguntado certa vez sobre o que ou qual era a maior problema da igreja. Eu respondi que o maior problema da igreja é a própria igreja. Quando esta não quer orar, não quer evangelizar, não estuda a Bíblia, não conhece a Palavra de Deus, não faz missões, não dá frutos, não ama o próximo, muito menos ao Senhor... etc e tal.

Ouço obreiros dizendo que a cultura de determinado local é difícil, o povo do sul, por exemplo: Dizem que é um povo frio onde duas ou três religiões (o catolicismo e a umbanda/Candomblé) são fortes e prejudicam a evangelização. Balela! Outra coisa que tenho ouvido ultimamente é que pastor deve ter perfil e igrejas possuem perfis X ou Y. O pastor X se encaixa com a igreja X e não serve para a igreja Y. Será?

Sinceramente não concordo nem com uma coisa e nem com outra. Penso que onde possui NÃO-salvos, ali devemos agir, ali o Evangelho deve ser apresentado. E não depende de cultura e sim de necessidade. Ora, não ouviram de Cristo, esta é a motivação, é a razão. Não existem pessoas difíceis para evangelizar, existem crentes que não querem evangelizar. Outra coisa, o Evangelho está acima da cultura e que Deus é maior do que qualquer frieza cultural ou regional. Até porque pessoas duras de coração existem não apenas no SUL do Brasil, mas no Brasil todo e no mundo todo. E seja do “Oiapoque ao Chuí”, todos precisam saber de JESUS.

As igrejas hoje em dia estão virando empresas, e os pastores funcionários. Agora a moda é pedir currículo com pretensão salarial. Absurdo! E quem foi que disse que igreja possui perfil específico e precisa de um pastor específico? Onde está na Bíblia isso? Claro que em nenhum lugar. O que virou moda é empresariar as igrejas e a forma empresarial tem substituído a espiritual de se fazerem as coisas. Não é mais o que Deus quer para nós. É o que nós queremos para nós. A vontade de Deus não importa, importa o que desejamos e o que pensamos de um pastor.

Não foi Jesus quem disse: “Portanto vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos" (Mateus 28.19-20)????

Ele não disse: “Olha, você que tem facilidade para música, vá pastorear a igreja X que está precisando de músicos”... “E você que é voltado mais para missões, vá para a Igreja Y, porque lá eles são uma igreja missionária...”. Redundância! Toda igreja precisa ser missionária se não fazer missões não é igreja, assim como o cristão. Ele é missionário.

E ainda falam do temperamento e da experiência. Os pastores jovens nunca podem e não devem pastorear igrejas grandes “numericamente”, porque a igreja grande sempre precisa de pastores experientes e que já fizeram seus “nomes” na denominação. Grande coisa! Disse João, o Batista: “É necessário que ele cresça e que eu diminua” (João 3.30). Pastores famosos que recebem bem, e muito bem, não iriam para uma igreja sem salário, iria? Talvez, um ou outro... mas a questão não é o salário, mas é a visão de pastores e de várias igrejas que estão distorcidas.

Pergunto-me: Será que Deus não capacita mais os seus vocacionados? Será que o mesmo espírito que está no pastor “experiente”, não está também no “inexperiente”, Será que Deus não usa mais QUEM ELE quer e ONDE ELE quer? Será que Deus perdeu a direção das coisas? Não seria ELE quem deveria enviar? Escolher? Direcionar?

Homens estão tentando fazer o papel de Deus, é por isso que as igrejas estão vazias. Às vezes cheias de pessoas, mas com pensamentos distorcidos do cristianismo, de Jesus, do Evangelho, de ovelhas, do ministério pastoral e até mesmo da Igreja.

Aliás, há igrejas hoje em dia possuem donos. Pessoas que pensam em tijolos e paredes, mas não pensam no que está sem a salvação, não pensam nem nos de dentro e muito menos nos de fora. Querem templos bonitos e imperiais, mas não querem vasos de honra e glória do SENHOR.

Ainda vejo a cena de Apocalipse, Jesus ao lado de fora da Igreja batendo à porta: “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo” (Ap 3.20). Estão deixando o Dono da Igreja para fora.

É por isso que penso que: O maior problema da igreja, não está fora, mas dentro da igreja. Tenho provado a fidelidade de Deus e depender DELE é incrível. Deus é maravilhoso. Mas continuo refletindo sobre essas coisas e pedindo a Deus em oração:

“Senhor, me livre de políticos e de politicagem, de pessoas que não tem caráter e de igrejas que são bodes e não ovelhas, me livre da ação humana, quero ser dirigido, guiado e orientado apenas pelo SENHOR. Dai-me discernimento para todas as coisas, sabedoria no agir, disposição no fazer e humildade no aprender. Dependo de ti Senhor”.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth