domingo, 7 de setembro de 2014

Os que precisam de médico

OS QUE PRECISAM DE MÉDICO
Mensagem do dia 07/09/2014 (Domingo/Noite) – Igreja Batista Central em Toledo
Série: Os Provérbios de Jesus – 01

27 Depois disso, Jesus saiu e viu um publicano chamado Levi, sentado na coletoria, e disse-lhe: "Siga-me". 28 Levi levantou-se, deixou tudo e o seguiu. 29 Então Levi ofereceu um grande banquete a Jesus em sua casa. Havia muita gente comendo com eles: publicanos e outras pessoas. 30 Mas os fariseus e aqueles mestres da lei que eram da mesma facção queixaram-se aos discípulos de Jesus: "Por que vocês comem e bebem com publicanos e ‘pecadores’? " 31 Jesus lhes respondeu: "Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. 32 Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento" (Lucas 5.27-32).

Introdução
O final do século XX e o início do século XXI ficarão marcados na história, pelo terror de uma doença abominável: a AIDS. É uma doença extremamente maligna por destruir as defesas do corpo humano deixando-o totalmente vulnerável a todo tipo de mal, como um simples resfriado. É uma doença mortal e, até o momento, sem cura.

Nos lábios de Jesus de Nazaré, o corriqueiro torna-se inédito e o comum, especial ou escandaloso. Jesus falou de diversas maneiras para ensinar o povo e revelar o propósito da Salvação para a humanidade, ele falou por meio de parábolas, usou exemplos da natureza, da agricultura, falou poeticamente, citou o AT várias vezes e criou muitos provérbios. Nós vamos estudar os provérbios de Jesus. Este é o primeiro: "Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento".

Este provérbio de Jesus fala de uma doença muito mais perigosa e fatal do que a AIDS. Cientistas querem descobrir a cura, por isso o mundo pesquisa com tanta intensidade a cura da AIDS e de outras doenças terríveis como ela, todavia deveriam prestar mais atenção à providência que Deus tomou para salvá-los deste mal maior. A Condenação Eterna. Jesus afirmou: “Os sãos não precisam de médico e sim os doentes... Eu vim para os doentes”. Nem todas as coisas nos textos estão explicitas, mas implícitas, portanto, com este provérbio Jesus afirmou TRÊS VERDADES FUNDAMENTAIS.

1ª A missão de Jesus, o MÉDICO dos médicos.

A Primeira Verdade fundamental que Jesus afirma. É que a sua missão pode ser comparada com a de um médico entre os seus pacientes. Sua missão é salvar vidas e almas. Deus enviou um “médico” ao mundo para mostrar que a saúde espiritual da humanidade esta de mal à pior. O mundo necessitava desesperadamente de cura para a sua “doença”, o seu mal maior, o pecado, a rebelião dos homens contra o Criador, afastando a humanidade de Deus.

Jesus sabia muito bem de sua missão entre os homens, sabia por que veio ao mundo. Os judeus pregavam a salvação pela segregação (judaísmo não é apenas uma religião é uma raça). Jesus trazia a salvação pela associação, Ele se associava aos pecadores para salvá-los. Não foi à toa que foi chamado de “amigo de publicanos e pecadores” (Mt 11.19; Lc 7.34). E de fato, ELE o era, pois estes publicanos e pecadores buscavam NELE, o grande “Médico de Deus”, a solução para sua terrível doença. A Condenação Eterna, Jesus é o “cordeiro de Deus” que tira o pecado do mundo.

Muitos destes seguiram Jesus (Mc 2.15), inclusive Levi. Eles se reuniam ao redor de Jesus para ouvi-lo (Lc 15.1-2), contudo os que se julgavam santos e puros não. E eles descobriram que publicanos e pecadores podem agradar a Deus pelo arrependimento, através de corações contritos e quebrantados. Descobriram que Deus não se alegra com os “justos-por-si-mesmos”, mas Deus se alegra com o arrependimento, que propicia a cura do pecado, isso, somente em Jesus (Lucas 15.7,10).
   þ  Jesus é o médico dos médicos.

2ª O homem está doente e necessita do MÉDICO.

A Segunda Verdade fundamental que Jesus afirma. É a necessidade dos homens de reconhecerem a “doença” que os condenam e que precisam do médico. Quem não se acha em risco de vida não vai chamar ao “Médico” que Deus enviou. Este médico é Jesus Cristo. Jesus disse: “Não vim chamar justos, mas pecadores”. Ele disse isto, não por achar que houvesse algum justo entre os homens, mas por saber que os que se consideravam justos por si mesmos não iriam a ELE, por causa do orgulho que os impediam. O homem que se acha saudável não quer saber de médico; o homem que se julga justo e sem pecado, não acha que necessita ir ao Salvador.

O provérbio: "Os que têm saúde NÃO precisam de médico, mas sim os doentes”. É também um chamado ao reconhecimento de nossa situação diante de Deus. “Jesus Cristo veio ao mundo para salvar pecadores...” (1 Timóteo 1.15). Se eu não reconhecer a minha condição de pecador, estou fora da obra salvadora de Jesus. É como se ELE não tivesse morrido por mim, ou se sua morte, não tivesse nem efeito, muito menos sentido algum para a minha vida. É como se eu estivesse doente, sentindo fortes dores, consultasse um médico e não reconhecesse que estou doente. “Que isso doutor, não estou doente não”. Afinal de contas, quem é o médico?

O pecado que não tem perdão é o pecado de não reconhecer que necessita do perdão. Enquanto este pecador insistir no erro, não terá a salvação (João 9.39-41). Há uma ofensa associada à graça de Deus. Em Marcos 7.24-30 (a fé da mulher siro-fenícia), vemos uma mulher pedindo pela graça de Jesus. E Jesus diz que ela não é digna daquela graça. A mulher concorda: ela reafirma sua indignidade chamando-se “cachorrinho”, mas insiste em pedir o que não merece. E consegue! Jesus reconheceu que a fé daquela mulher era muito grande e verdadeira.

Assim como aquela mulher, temos que reconhecer nossa indignidade para podermos receber o perdão de Deus. Temos que reconhecer o nosso pecado e confessá-los para obter a salvação. Não há perdão para os que são justos aos seus próprios olhos, até que eles se arrependam. Há pessoas que se sentem tão justas e acham que todos possuem pecados e defeitos, menos elas, elas não precisam mudar, sempre estão bem. Nunca tem problemas. Não precisam ser pastoreadas. Nem querem ser pastoreadas. Mas dizem: “Pastor, vá atrás de fulano e de beltrano, pois eles estão precisando de ajuda”.
    þ  O homem está doente e necessita do MÉDICO dos médicos.

3ª Aquele que foi curado deseja a cura de outros doentes.

A Terceira Verdade fundamental que Jesus afirma.  É que a misericórdia e a graça de Deus devem ser compartilhadas. O homem que outrora estava terrivelmente doente, e que fora curado pelo Médico dos médicos, deseja que outros também sejam curados. É estranho um cristão não sentir compaixão por aqueles que continuam “doentes” e necessitados do Médico dos médicos.

O relato descrito em Mateus 9.9-13 – contem um detalhe que não consta em Lucas. Jesus cita o provérbio depois diz: 13 Ide, porém, e aprendei que significa: Misericórdia quero, e não holocaustos; pois não vim chamar justos e sim pecadores”. Jesus está citando parte de Oséias 6.6 – no qual o profeta repreendia o povo por sua observância mecânica e exterior da lei de Deus.

No AT (hebraico) a palavra Misericórdia, pode ser traduzida também por “amor” ou “fidelidade”, e seu alvo é Deus. Oséias estava pregando para que o povo amasse a Deus, fosse fiel à ELE de todo coração e não apenas cumprissem os deveres e os rituais da religião. Já no NT (grego) a palavra misericórdia (ELEOS) é a atitude que Deus tem por nós e que devemos ter uns pelos outros. Agir com misericórdia especialmente com os que precisam dela. O uso desta frase por Jesus, em associação com este provérbio, mostra duas coisas:

þ  Primeiramente deixa claro que os fariseus não aceitavam a conversão dos publicanos e pecadores por causa de sua religião e religiosidade mecânica e exterior. Esta, impossibilitava-os de entender um verdadeiro relacionamento com Deus baseado no perdão que o evangelho de Jesus oferece. Para eles tudo era uma questão de regulamento, regras, pureza ritual-alimentar e tradição; fora disto não podia ter aprovação divina. Para eles não havia misericórdia a não ser nas práticas dos seus atos religiosos. Não entendiam e nem viviam um verdadeiro relacionamento com Deus.

þ  Em segundo lugar, Jesus mostra que sua obra só pode ser entendida por aqueles que estão de coração aberto, buscando a Deus e não por aqueles que vivem um sistema religioso para a autopurificação. Jesus estava exercendo a misericórdia de Deus para com os pecadores, mas quem não se considera pecador nada pode receber de Deus.

Isso mostra que o provérbio de Jesus, "Os que têm saúde NÃO precisam de médico, mas sim os doentes”, é uma declaração da misericórdia de Deus e de Jesus para com os homens e também a aceitação de graça de Deus oferecida aos outros: É misericórdia que imita a de Deus.
   þ  Aquele que recebeu graça e misericórdia deseja que outros também recebam.

Conclusão
Lucas 5.31-32:31 Jesus lhes respondeu: "Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. 32 Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento".

1ª A missão de Jesus, o MÉDICO dos médicos.
2ª O homem está doente e necessita do MÉDICO.
3ª Aquele que foi curado deseja a cura de outros doentes.

Cuidado com aquela “aparente” retidão que afasta o individuo de Deus. O mundo precisa ser contagiado com a salvação. Precisamos ser misericordiosos como Deus é misericordioso.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth