domingo, 31 de agosto de 2014

Um Deus que dá chances


UM DEUS QUE DÁ CHANCES
Mensagem do dia 31/08/2014 (Domingo/Noite) – Igreja Batista Central em Toledo
Texto: Marcos 10.17-22
Introdução
Este texto traz consigo geralmente nas Bíblias o titulo de "O JOVEM RICO", com certeza vocês conhecem ele, mas poderia ser intitulado também como: “O JOVEM POBRE”, ele era tão pobre, tão pobre que tinha apenas bens materiais. Ou poderia ser intitulado também como “UM JOVEM RELIGIOSO”, que pensava ser merecedor da vida eterna por cumprir os mandamentos. Jesus quer tratar uma questão importante, diria que é a mais importante para o ser humano: Como herdar Reino de Deus? Como obter a salvação, a vida eterna? O que, ou quem pode nos conduzir a Deus?

Bom, nós sabemos que não são por meio das obras, muito menos por meio das práticas e ritos religiosos. Ser rico ou pobre também não importa para Deus. Embora Jesus fala da dificuldade de um rico se converter por causa dos bens materiais (v.23), não pelas riquezas e bens em si, mas como disse o apóstolo Paulo à Timóteo, por causa do amor ao dinheiro que é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (1 Tm6.10). Ao mesmo passo que alguém pode ser pobre e achar que Deus se esqueceu dele e ter uma vida desonesta. Mas isso é relativo, o caráter não depende de riqueza ou pobreza, cada um tem o seu independente se é rico ou pobre. O que Jesus deseja então?

O foco principal do texto é Jesus, não o jovem. Jesus deseja dar mais uma chance para o jovem. ELE quer um coração quebrantado, genuinamente convertido e desprendido de qualquer coisa, sentimento, pessoas, situações ou ritos religiosos que são vazios e fúteis. Para cumprir a vontade de Deus precisamos ter corações abnegados e obedientes. Existe em sua vida algo que lhe impede de servir melhor ao Senhor? Vamos analisar o texto e extrair dele lições preciosas para as nossas vidas.

I - UM DEUS QUE DÁ CHANCES... Mesmo com dúvidas suspeitas (vv. 17-20).
A religiosidade deste jovem o impedia de muitas coisas. Jesus conhecia perfeitamente o coração dele. Olha a forma que ele aborda Jesus: "... correu ao encontro de Jesus... ajoelhou-se e perguntou a Jesus: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?".

Imagine a cena que ele fez, um tanto quanto dramática. Aproximou-se de Jesus. Ajoelhou diante Dele. Fico pensando nisto: O fato é que muitos se aproximam de Jesus, mas continuam com o coração longe Dele. Muitos se ajoelham diante de Jesus, mas seus corações continuam em pé. Muitos erguem as mãos, dizem palavras belas, espirituais e fazem uma cena tentando impressionar Jesus e os outros, seus lábios confessam Jesus, mas seus corações estão longe da adoração que Jesus deseja. Impressionam homens, mas não a Deus. Sua religiosidade serviu apenas para afastá-lo de Jesus e não para aproximá-lo.

Há pelo menos dois tipos de pessoas: 1. Aquelas que possuem duvidas sinceras; 2. Aquelas que não possuem dúvidas, todavia querem nos provar ou perguntam apenas para confirmarem suas convicções pessoais. Aquele jovem disse: “Que farei Senhor para herdar a Vida Eterna?” Era uma Dúvida ou Confirmação de suas ações? Neste caso, o que nos parece é um grande orgulho religioso. Pura religiosidade! Ele queria confirmação de que era bom suficiente para herdar a vida eterna mediante suas praticas religiosas. No evangelho de Mateus foi registrado assim: “Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?” (Mt 19.16). Depois disse que cumpria todos os mandamentos desde a sua juventude (v.20).

Nas minhas férias tive oportunidade de conversar com pessoas assim. Achavam que cumprir seus ritos religiosos fazia dela alguém mais puro e mais santo que outros que não faziam. Você é religioso? Você é religiosa? Saiba que a religiosidade nos afasta de Deus. Contudo, Jesus mostrou para ele o que ele teria que fazer. Não era aquele caminho, qual foi a proposta de Jesus para aquele jovem?

II - UM DEUS QUE DÁ CHANCES... Mostrando o caminho certo (v. 21).
Jesus deu uma boa resposta ao jovem. Como já foi dito, ELE o conhecia intimamente, sabia dos seus intentos. Primeiramente fez com que o Jovem revelasse o que realmente estava no seu coração quando ele mencionou os mandamentos (v. 19). O jovem achou que suas atitudes eram suficientes para herdar a vida eterna, ele não imaginava que a resposta dera para Jesus não estava correta, por isso... "Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me" (v. 21).

Jesus, sempre amoroso, bondoso, gracioso e misericordioso, o texto diz que Jesus olhou para o jovem, olhou com o mesmo olhar de compaixão que olhou para Pedro, o mesmo olhar que olhou para o povo quando ELE estava na cruz e disse: “Pai perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”. Olhou e o amou. Jesus nunca deixou de amar. Deu a resposta. Deu a saída. Mostrou o caminho. "Uma coisa ainda falta...".  O jovem também não esperava por isso. Disse Jesus a ele:

1.      "... vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu".
Noutras palavras, Jesus disse: Abra mão dos seus tesouros terrenos. E terás um tesouro no céu. A grande verdade é que nós invertemos os valores, vivemos o passageiro como se fosse eterno. Jesus noutra ocasião disse: "Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração" (Lucas 12.34). Onde está o seu coração? Onde está o seu tesouro?

Agora sim, depois de vender tudo, dar aos pobres, terá um tesouro melhor e muito mais sublime então, Jesus continua dizendo:
2.      "... vem, e segue-me".
Outra questão importante: A Salvação tem muitos benefícios, mas também tem suas obrigações. Alguns querem Jesus como Salvador, mas não o querem como SENHOR. A obediência é necessária para todo cristão. Jesus também disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 16.24). Tomar a cruz e negar a si mesmo é assumir os benefícios e as responsabilidades de ser cristão.

Jesus conhece os corações, conhecia o coração daquele jovem e conhece o nosso coração também. Você tem negado a si mesmo, tem tomado a sua cruz e seguido Jesus? Seguir Jesus sem cruz, não é seguir Jesus, é seguir a si mesmo. Diante desta proposta de Jesus, qual foi a escolha do Jovem?

O RESULTADO (v. 22). JESUS quis dar mais uma chance para aquele jovem, mas ele fez uma péssima escolha. No final das contas, o que importa mesmo é o resultado, e o resultado do diálogo de Jesus com o jovem foi lastimável. Ele poderia ter obedecido ao Mestre, escolhido o melhor, poderia ter tomado a decisão correta, contudo, não foi o que aconteceu o texto diz que ele ficou "...  abatido por essas palavras, retirou-se triste; porque possuía muitos bens".

Foi um choque para o jovem! Vou dizer uma coisa: Provavelmente aquela era a última coisa que ele esperava ouvir de Jesus. Assim como aquele jovem, muitos só querem ouvir o que agradam o coração e não o que precisam ouvir para correção, para a exortação, para a transformação e mudança de vida. Ele fez uma péssima escolha, preferiu os bens terrenos do que os celestiais, era muito apegado aos seus bens, não queria abrir mão de tudo. Seguir Jesus é Abnegação, é abrir mão. E assim, ao longo da história, muitos não querem abrir mão das coisas que afastam o coração de Deus. Qual tem sido a sua escolha?

Conclusão
Na Bíblia, percebemos que Jesus foi muito duro com os falsos mestres da lei e fariseus de sua época dizendo: "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês são como sepulcros caiados: bonitos por fora, mas por dentro estão cheios de ossos e de todo tipo de imundície. Assim são vocês: por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade" (Mateus 23.27-28).

É assim que Jesus vê a religiosidade. O religioso normalmente também é egoísta, sínico, fingido, hipócrita (ator), por fora demonstra reverencia, mas seu coração está distante de Deus. Não tem interesse genuíno pelas coisas de Deus. Vai à igreja por outras razões. Mesmo assim Jesus é tão misericordioso que ELE continua dando chances para quem precisa, não apenas uma, mas duas, três, quatro e quantas forem necessárias para o quebrantamento dos corações.

Jesus deseja que você o siga, não de qualquer forma, deve ser de todo coração, negando a si mesmo e tomando sua cruz. Ele não aceita religiosidade, isso nos afasta Dele. Ele revelou a verdade para aquele jovem, todavia, preferiu tomar uma péssima decisão. E você, o que vai escolher?

Portanto, ninguém pode dizer que Jesus não dá chances para o arrependimento, ELE dá, contudo, um dia pode ser tarde demais, não podemos brincar com as chances e oportunidades que Deus nos dá. Oremos!


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth