quarta-feira, 25 de junho de 2014

JUDAS – Uma Introdução – 01

Mensagem do dia 25/06/2014 (quarta-feira) – Igreja Batista Central em Toledo

Orígenes (era teólogo, filósofo e padre, foi um produtivo escritor cristão, nasceu de uma família cristã egípcia e teve como mestre Clemente de Alexandria), disse que: “Judas escreveu uma epístola extremamente pequena, porém cheia de palavras poderosas e graça celestial”.

A Epístola de Judas tem um tom forte e exortativo. Foi escrita para alertar e advertir a igreja em relação à apostasia, a imoralidade e as heresias de homens que estavam no seio da igreja, mas que eram ímpios e estavam pondo em perigo a fé genuína e a sã doutrina ensinada outrora.

AUTORIA: Judas era um nome muito comum, há pelo menos, seis homens que assim se chamavam no Novo Testamento. Três JUDAS são mais conhecidos: Dois foram apóstolos o Iscariotes1 e o Tadeu2 (Lc 6.16; Jo 14.22; At 1.13), Tem o Judas irmão de Jesus3 (Mt 13.55; Mc 6.3; Jd 1), o Galileu4 (At 5.37), o Judas habitante de Damasco5 (At 9.11) e o Judas chamado Barsabás6 (Atos 15.22, 32). O nome Judas significa: “Louvor a Yahweh”, Deus é glorificado”. É o “Judá” no Antigo Testamento. Daqui vem a palavra “judeu” (“aquele que louva a Deus”).

A autoria da carta poderia ser dada a pelo menos 2 Judas do NT, sendo um deles Judas, filho de Tiago, um dos apóstolos, que também era chamado de Tadeu ou Judas, o irmão de Jesus. Mas não nos restam dúvidas de que o autor da epístola é Judas irmão de Jesus. Isso porque a introdução da carta apresenta: “Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago” (Jd.1.1), sendo que havia um só Tiago eminente e bem conhecido, o irmão do Senhor, como KUMMEL em seu livro “Introdução ao Novo Testamento”:

Testemunhos antigos favorecem a autoria do irmão Jesus, dentre eles Clemente de Alexandria, Epifânio, Orígenes, Atanásio, Jerônimo e Agostinho. Judas é citado em Mc 6.3 e Mt 13.55, identificado como irmão de Jesus. “Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas?”.

Outra boa evidência a favor da autoria dele aparece no v.17, onde o escritor se exclui do grupo dos apóstolos, o que desfavorece a autoria de Judas “Tadeu”, o apóstolo. “Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo”.

PANO DE FUNDO: Judas viveu numa época em que o cristianismo estava sob um severo ataque político por parte de Roma e sofria também uma terrível infiltração herética e imoral por parte dos apóstatas que parecidos com gnósticos e libertinos plantavam sementes malignas e o que se colhiam eram gravíssimos erros doutrinários e os surgimentos de seitas destruidoras. Com exceção de João, que viveu até o final do século, todos os outros apóstolos foram martirizados e o cristianismo era tido como uma religião extremamente vulnerável. Desse modo, Judas conclama a igreja a lutar pela verdade em meio a uma intensa batalha espiritual.

F Uma breve explicação do gnosticismo: Em poucas palavras, Gnosticismo é uma concepção religiosa muito antiga, de antes de Cristo, que veio do Oriente, provavelmente da Pérsia, e que se infiltrou na Igreja Primitiva gerando terríveis heresias que foram severamente combatidas já pelos Apóstolos Paulo, Pedro e João em suas cartas, e também por Judas e outros daquela época.
O gnosticismo acredita que há como que dois deuses; um deus bom e outro mau; A luz e a trevas, este é o DUALISMO (Taoismo - Yang E Yung?). Segundo os gnósticos o mundo teria sido criado pelo deus mau, um deus menor, que eles chamam de demiurgo (este seria o nosso Deus da Bíblia). Para esta crença, as almas dos homens já existiam em um universo de luz e paz (Plenoma); mas houve uma espécie de “tragédia” algo como uma revolta e assim as almas desses homens foram castigados sendo aprisionados em corpos humanos, como em uma cadeia, pelo deus demiurgo, e que os impedem de voltar ao estado inicial. A salvação dessas almas só seria possível mediante a libertação dessa cadeia que é o corpo, que é mau, e isto só seria possível através de um conhecimento secreto (a gnose em grego), junto com práticas de magias (esotéricas) sobre Deus e a vida, revelados aos “iniciados”, e que dariam condições a eles de se salvarem, por meio deste conhecimento.

Por isso os gnósticos não acreditam que Jesus Cristo é Deus, nem na salvação por meio da morte e ressurreição DELE Jesus Cristo; não acreditam no pecado, nos anjos, nos demônios, e nem no pecado original. Para eles o mal vem da matéria e do corpo humano, que são maus, tudo que é material foi criado pelo deus mau e deve ser desprezado. Mas a Igreja muitas vezes teve que se pronunciar contra isto dizendo que o Deus da Bíblia é BOM e tudo o que Deus fez e faz é bom.

Há também o “gnosticismo cristão”: acreditam que o deus bom, supremo, teria enviado ao mundo o seu mensageiro (Jesus), como redentor, uma espécie de Avatar, o portador da gnósis (do conhecimento), mas que a revelava a apenas alguns poucos escolhidos levando-os à salvação (libertação do corpo). Daí vem a ideia de segredo, poucos sabiam deste segredo. Então, para eles, Jesus não teria tido um corpo de verdade, material, ele teria apenas um corpo aparente (DOCETISMO – a palavra doceta em grego quer dizer aparente). Jesus teria então um corpo ilusório, como um fantasma. Portanto, não criam na encarnação de Jesus, nem em sua crucificação, muito menos da ressurreição e o que a Bíblia relata são mitos contados de um deus mau.

FATOS INTERESSANTES DA CARTA:
·         Temos nesta carta, uma visão do conflito espiritual travado através da cortina humana (v.9), mas de difícil interpretação e entendimento;
·         Judas 18 é uma citação direta de 2 Pedro 3.3;
·         A diferença entre 2Pedro e Judas é que Pedro fala da apostasia que iria acontecer (2.1-2; 3.13) e Judas da apostasia já presente (4, 11, 12,  17, 18).
·         Judas possui uma das mais belas doxologias (louvor) da Bíblia (24, 25);
·         Na perspectiva de Judas, os falsos mestres são:
o   Condenados, Libertinos, Imorais, Negam a divindade de Cristo (v. 4);
o   Sonhadores (falsos mestres), Insubmissos, Auto destruidores, Difamam seus superiores e líderes, são brutos (vv. 8, 10);
o   Egoístas, Nuvens sem água, Duplamente mortos, Estrelas errantes, Ondas Bravias (v.13);
o   Ímpios (v. 4, 15);
o   Murmuradores, Descontentes, Seguem suas paixões, Arrogantes, Aduladores (v.16).

Eis uma breve introdução à carta de Judas. Ela possui 25 versículos e iremos estuda-los com bastante cuidado.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth