sábado, 17 de maio de 2014

Que Sobrenome Usamos?


Que Sobrenome Usamos?
Mensagem do dia 17/05/2014 (Sábado) Encontro MCA & Homens – IBCT

"Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus" (Romanos 1.1 ARA)

Antigamente, quando eu era criança ouvia os adultos dizerem: “O fulano é da família TAL ou QUAL”. Dependendo do sobrenome sabíamos se a pessoa era rica ou não. As coisas mudaram um pouco, mas ainda hoje ouvimos este tipo de forma para identificar alguém. O sobrenome é utilizado para identificar a pessoa, algumas pessoas me chamam apenas por Berberth, tem gente que nem sabe o meu nome completo, “Paulo César Berberth Lima”.

Da mesma forma, é muito comum o uso dos títulos ou profissão pessoal como uma forma de apresentação. Exemplos: Está aqui conosco o “Doutor”, “PHD”, “Professor”, “Filósofo”, “Pastor”, “Missionário”, no mundo gospel existem umas aberrações como “Apóstolo”, “Bispo”, “Pai-Apóstolo” e por ai vai. Admiro quem busca suas especializações e não ligo se alguém for apresentado com seus títulos, o nosso cuidado deve ser para não valorizarmos apenas os títulos e nos esquecermos da pessoa, do seu caráter e de quem ela é diante de Deus.

Veja o exemplo do apóstolo Paulo, não apenas ao escrever a carta aos Romanos, mas se olharmos todas as suas cartas, vamos perceber que ele tinha CRISTO como ancora. Sem falar que ele não adotou o “sobrenome” que era seu por direito, ele poderia ter se intitulado assim: “Eu, o Grande Apóstolo, o Doutor da lei, Poliglota, Cidadão Romano, Pregador de Multidões, Missionário para todos os povos e por aí adiante...”. Mas não o fez, preferindo antes dizer simplesmente: “Paulo, servo de Jesus Cristo”.

O verdadeiro servo de Cristo sabe que antes dele vem o seu Senhor, tanto em sua postura, como em seu coração, ele é servo e isso basta. Alegra-se com isso. Sente-se honrado por isso. E procura viver como tal. Sabe quem ele é. Sabe quem é Jesus e quem representa em sua vida. Duas questões são importantes:

·         Como temos nos chamados? Qual é a visão que temos de nós mesmos?
·         Como as pessoas nos veem? Como somos chamados lá fora? Como somos conhecidos?

Precisamos pensar nesses dois aspectos. Como estamos nos vendo e como os outros nos veem. A visão errada de si mesmo influenciará na visão das pessoas sobre nós. Será que o mais importante está sendo negligenciado em nossas vidas? Quais têm sido nossas prioridades como cristãos? Estamos pensando apenas em nós? Quanto de fato vivemos o evangelho?

Nós devemos viver para agradar Àquele que nos chamou e nos amou primeiro. Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16.24). “Se você veio a Deus e não negou a si mesmo, então é a Deus que você negou!” (Pr. Neil Barreto). Outra frase memorável é essa: “Quem não vive para servir, não serve para viver”. Devemos por Deus em primeiro lugar em nossas vidas, a ideia é que nos coloquemos na posição de servos do Altíssimo. Fazendo isso, imitaremos ao apóstolo Paulo que usa como sobrenome, o nome de CRISTO. "Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus" (Romanos 1.1 ARA)

Que sobrenome você tem usado? Já parou para pensar que numa época tão repleta de títulos e honrarias, onde a criação é mais valorizada que o CRIADOR, onde a pessoa é valorizada pelo que se tem materialmente falando e se olha mais para o caráter, valores e princípios. Já parou para pensar que o que está faltando aos próprios cristãos é usar como sobrenome o NOME de CRISTO. Que sejamos conhecidos como servos leias, fieis e dedicados de Jesus Cristo, quando citarem o nosso nome ou sobrenome, seja lembrado o nome sobre todo nome, o nome de JESUS.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth