domingo, 27 de abril de 2014

Otimismo X Pessimismo

Otimismo X Pessimismo
Mensagem do dia 27/04/2014 (Domingo-Manhã) 
Igreja Batista Central em Toledo

Então Calebe fez o povo calar-se perante Moisés e disse: "Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos!" (Números 13.30).

Introdução
No mundo empresarial, fala-se muito num termo novo: “a indústria do otimismo”. Lendo um artigo num site de economia, diz a reportagem que os empresários melhoram seus rendimentos e desempenhos tendo otimismo. Todavia, as críticas são ferrenhas quanto a esta afirmação. Viver com otimismo é bom, mas também é necessário viver com os pés no chão, dizem os críticos que a maioria destes empresários possui um otimismo exagerado que os leva na verdade ao prejuízo.

De fato, este tipo de otimismo precisa ser criticado mesmo e neste ponto de vista, o otimismo exagerado pode levar uma pessoa a consumir algo que não pode pagar, por achar que conseguiria pagar, apenas pelo êxtase, ou pelo desejo de querer ter. Assim como também pode levar uma pessoa a se submeter a uma cirurgia, crendo no êxito, e, por causa dela, perder a vida.

Por trás do falso otimismo, pode estar alguém vendendo palavras de ânimo e ganhando dinheiro isso, como livros de autoajuda: “Regrinhas para isso ou para aquilo”. A vida não possui regras, possui princípios e valores. O lado bom de viver com otimismo é que geralmente, nos momentos dificuldades ou quando as coisas não dão certo, a pessoa otimista mantem a alegria e a esperança.

Por outro lado, o que dizer do pessimismo? O pessimismo pode, diante da falta de perspectiva, levar uma pessoa a matar a outra (por achar que não havia mais solução), ou a dar cabo da sua própria vida (diante da falta de esperança). O pessimismo pode paralisar uma família, temerosa em querer avançar e conquistar seus sonhos, com medo de ousar e arriscar. O pessimismo ceifa o progresso econômico, assim como também o espiritual, porque os seus agentes não enxergam um cenário que os anime a investir e a produzir. Sem dizer que geram pessoas mal humoradas, elas criticam tudo, mas não fazem nada para que as coisas melhorem.

Diante de um plano, um projeto na igreja os pessimistas dizem: “Não vai dar certo”, “Já fizemos isso e ninguém aderiu”, “Vai gerar muito gasto”, “Eu não gosto assim... prefiro assado”. Já o otimista: “Que boa idéia”, “Podemos tentar novamente”, “Dessa vez pode dar certo”, “Eu ajudarei nisso e naquilo”, “Vou chamar fulano e beltrano para participar”. Na vida precisamos ter equilíbrio, porque os extremos nunca serão bons.

Calebe e Josué tinha uma grande missão, conquistar a terra prometida. O relatório que os 12 espias deram foi este: “A terra é muito boa, mas lá tem um exercito grande e forte, eles são gigantes e nós como gafanhotos”. E agora, o que fazer? Eles podiam olhar para o exercito poderoso ou para a terra maravilhosa. Eles podiam ser pessimistas e pensar que jamais derrotariam aquele exercito ou poderiam ser otimistas e confiar no poder de Deus. Diante desta situação, sejam sinceros: O que você faria?

Conclusão
Calebe e Josué não hesitaram, confiaram em Deus. Foram otimistas, corajosos, ousados e seguiram em frente para conquistar a terra prometida, enquanto os outros 10 ficaram esquecidos na memória do povo e da história de Israel. Vejam:

 “E Josué... e Calebe... rasgaram as suas vestes”. E encorajaram o povo e eles falaram a toda congregação: “... A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra muitíssimo boa. Se o SENHOR se agradar de nós, então, nos fará entrar nessa terra e ela será nossa, terra que mana leite e mel. Tão-somente não sejais rebeldes contra o SENHOR e não temais o povo dessa terra, porquanto, como pão, os podemos devorar; retirou-se deles o seu amparo; o SENHOR é conosco; não os temais” (Números 14.6-9).

Disse o Apóstolo Paulo certa vez: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8.31). O restante da história, nós já conhecemos: Eles conquistaram a Terras. Pensando em nosso dia a dia, pensando em nossa família, trabalho, estudos e na igreja. Pensando em nossas batalhas, em nossas lutas, o que vamos escolher fazer? Ficaremos com medo diante das adversidades e recuaremos reclamando e murmurando, ou confiaremos no Senhor e agiremos em pró daquilo que está diante de nossos olhos?

Irmãos, sejamos todos nós otimistas, nunca pessimistas, mas acima de tudo confiemos no Senhor, sempre no Senhor, pois é Dele que retiramos o nosso amparo: “... o SENHOR é conosco; não os temais”.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth