domingo, 16 de fevereiro de 2014

Muito conhecido, pouco vivido

Muito conhecido, pouco vivido.
Cumprindo uma missão: “Ser Pescadores de Homens”
Mensagem do dia 16/02/2014 (Domingo /manhã) 
Igreja Batista Central em Toledo

E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens" (Marcos 1.17).

Não é necessário dizer que este é um dos textos mais conhecidos da Bíblia, porém é também (infelizmente) um dos menos praticados. Dizem que a Bíblia é o livro mais vendido no mundo, porém é também o menos lido e menos praticado. Ontem tivemos o encontro da BIG, nossa associação das Igrejas Batistas. Uma coisa é bem interessante, os pastores sempre fazem as mesmas perguntas: Como vai Toledo? (referindo-se a Igreja). Eu respondo: Vai bem, estamos progredindo, avançando, mas ainda não está bom, precisamos melhorar muito ainda, há muito que fazer e não podemos achar que as coisas estão boas do jeito que estão e ficar por isso mesmo.

Vamos ao contexto: João Batista aparece no cenário, ele é “a voz que clama no deserto” (v.3). Sua missão foi anunciar a necessidade de arrependimento e todos os que criam na mensagem eram batizados (vv. 2-8). E dizia também que: “... Depois de mim vem alguém mais poderoso do que eu, tanto que não sou digno nem de curvar-me e desamarrar as correias das suas sandálias” (v.7).  

Jesus foi batizado e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma de pomba e se ouviu uma voz que dizia: “Tu és meu Filho amado, em ti me comprazo” (vv. 9-11). Em seguida Jesus passou por quarenta dias sendo tentado por satanás e nos deu exemplo de como suportar as tentações e as inclinações de nossos corações às coisas deste mundo (vv. 12-13).

Jesus chama os primeiros discípulos (vv.14-20). Marcos 1.14-17:14 Depois que João foi preso, Jesus foi para a Galiléia, proclamando as boas novas de Deus. 15 "O tempo é chegado", dizia ele. "O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas!" 16 Andando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu Simão e seu irmão André lançando redes ao mar, pois eram pescadores. 17 E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens".

Pescar não é uma coisa fácil e nem para qualquer um. Eu mesmo poderia dizer que sou um péssimo pescador de peixes, não sei pescar e não levo jeito para pescar. Talvez você seja um bom pescador ou pelo menos goste muito de pescar. Todavia esta convocação não foi apenas para os discípulos no passado é para todos nós: “ser pescadores de homens”.

Eu sempre penso nisso, e creio que é algo importante para todos nós pensarmos, portanto, pense: Para quantas pessoas em 3 meses você falou de Jesus? Ok! Vamos diminuir. Em 1 mês? Quem sabe em 1 semana? Pensou? Então lá vai outra pergunta: Quantos “peixes” você pescou para Jesus ao longo de sua vida?

Na verdade a quantidade em si não é a minha ênfase nesta reflexão, tanto quanto se somos de fato pescadores de almas, você é? Perceba que foi o próprio Jesus quem nos comissionou para isso. O apóstolo Pedro escreveu: “Que somos a geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas agora, é povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora, alcançastes misericórdia” (1Pedro 2.9-10).

Tenho percebido que a facilidade que temos hoje em dia, ao invés de facilitar na verdade tem atrapalhado a maioria dos crentes. Percebo que "A facilidade está gerando cristãos preguiçosos, acomodados e relaxados". Isso é muito triste. Uma grande parte dos crestes não tem cumprido esta missão gloriosa, a de proclamar Jesus aos perdidos. Outros sequer valorizam estar na casa do Senhor, participar das programações e cooperar com os ministérios. Pergunto: Por quê?

Um bom exemplo é a igreja primitiva (Atos 2.41-47). Ela estava crescendo, mas seu crescimento foi internamente e com isso eles se esqueceram da grande comissão “Ide e pregai, fazei discípulos em todas as nações... até os confins da terra”. O que aconteceu logo em seguida?

Perseguição. Leiamos Atos 8.1: “E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. Naquela ocasião desencadeou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e de Samaria”.

Imagine se isso fosse se tornar uma regra: Quem não cumprir Atos 1.8 (testemunhar) – “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra" (Atos 1.8). Sofrerá Perseguição (Atos 8.1). A perseguição atingiu a igreja do Senhor e fez a igreja acordar e agir.

Isto me leva a outro pensamento: Será que nos dias de hoje precisaremos de uma perseguição para cumprir a ordem do Senhor de testemunhar e anunciar as suas Boas Novas para todas as nações até os confins da terra? Será que a Igreja de Cristo teria outra atitude, outra postura?

Conclusão
Alcançamos misericórdia e a Graça de Deus se manifestou salvadora a nós. O amor de Deus nos constrange e nos dá motivação e alegria para cumprir a vontade de Deus para nossas vidas de sermos instrumentos em suas mãos. Você tem testemunhado ao mundo essa mensagem de Salvação? Sejamos pescadores de homens!


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth