segunda-feira, 5 de agosto de 2013

O Velho EU que éramos nós


O Velho EU que éramos nós
Pastoral nr 027

“Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais, tendo- se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza” (Efésios 4.17-19).

Descrição terrível, não acha? Sim! Era exatamente assim que éramos assim antes de sermos alcançados pela Maravilhosa Graça de Deus, que nos transformou pela ação do Espírito Santo de Deus. Nossos pecados cheiravam mal diante de Deus. A nossa justiça era vista como trapo de coisa nojenta e repugnante por ELE (Isaías 64.6).

Nós sem Deus = MORTE ETERNA. Andávamos na vaidade dos nossos próprios pensamentos. Isso significa que o nosso deus era, nada mais nada menos, o nosso próprio coração corrupto. Éramos do mundo das trevas e agíamos como tal. Tínhamos tudo para que a ira de Deus nos fulminasse. Obscurecidos de entendimento. Isso significa que éramos ignorantes, tolos e "emburrecidos". Não havia a mínima possibilidade de alcançarmos o entendimento das verdades eternas e consequentemente, conhecer a Deus.

Ah! Se não fosse a Graça de Deus! Tínhamos corações endurecidos e sem nenhuma sensibilidade, nada nos trazia culpa. Sem sensibilidade não nos sentíamos culpados, não nos envergonhávamos de nada e persistíamos nos erros, sem nenhum constrangimento e sem saber teríamos um destino terrível. Com toda essa bagagem promíscua, os resultados só poderiam ser ainda mais desastrosos. Estávamos entregues à dissolução e, com avidez, cometíamos toda sorte de impureza.

Agora, em Cristo, tudo mudou! “... somos novas criaturas, as coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” (2Co 5.17). Nova visão: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave” (Ef. 5.1-2). “Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo” (Fp 1.27).

A vida que outrora tínhamos, “já era”. Agora, já não somos mais o que antes fomos. Certo? Valorize a salvação e a vida em Cristo, vivamos pelo Senhor e para o Senhor, o autor e consumador de nossa fé.


No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth