domingo, 23 de dezembro de 2012

Sofrimentos


Sofrimentos
Aula de EBD ministrada pelo Pr Paulo Berberth 
Igreja Batista Central em Toledo

  •  Por que nós sofremos?
  • Por que acontecem coisas ruins no mundo?
  • Se Deus é tão bom, bem como Todo-poderoso, por que Ele não evita o sofrimento?
  • Como devemos reagir quando acontecem coisas que não nos fazem sentido?


Estas questões, assim como outras, têm incomodado a humanidade durante séculos. Muitas respostas poderiam ser dadas e por vários ângulos e pontos de vistas. Igualmente muitas questões não teriam respostas concretas. No entanto, este assunto não deve de maneira alguma abalar a nossa fé, pois a palavra de Deus nos fornece algumas respostas e sustenta poderosamente nossa fé mesmo quando algumas perguntas permanecem sem repostas.

Como cristãos temos muitos desafios, talvez um dos mais difíceis é saber lidar com o sofrimento, seja consigo mesmo, com outros cristãos e principalmente com os incrédulos, e pior ainda, com céticos e ateus deste mundo. Temos que estar bem preparados para dar respostas a quem precisar. Vamos pensar sobre este assunto, O SOFRIMENTO.
 

I - Os Mitos sobre o Sofrimento

 O que não é verdade sobre o sofrimento?

1.      Todo sofrimento vem de satanás. Não é! Nem tudo é de responsabilidade dele, apesar dele agir também.
2.      No sofrimento, não existe um plano de Deus para sua vida. Deus é soberano e seus planos são mais altos que os nossos, sendo assim, muitas coisas não sabemos, mas Deus tem um propósito em tudo e para todos.
3.      Deus vai construir um muro de proteção para que seu povo não sofra. O Próprio Jesus disse: “No mundo, tereis aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16.33).
4.      Se tiver andando na vontade de Deus não irá sofrer. Muitos servos de Deus ao longo da história sofreram exatamente por buscarem e cumprirem a vontade de Deus.
5.      Se Deus realmente nos ama e nós o amamos, Ele não permitirá que soframos. Deus pode nos proteger e cuidar de nossas vidas (e ELE o faz), mas ter o amor e o cuidado Dele, não significa que teremos isenção de sofrimentos. Ele está conosco mesmo em meio aos sofrimentos.
6.      O sofrimento vem em forma de punição do pecado. Deus não castiga, Ele disciplina, são conceitos totalmente diferentes. O castigo nada mais é que uma “pena”, uma "punição", cujo objetivo é maltratar aquele que sofre o castigo. A disciplina tem como objetivo a educação, a exortação, o ensino e a instrução. Neste caso temos muitos benefícios.
7.      O sofrimento não traz nenhum benefício, por isso devemos eliminá-lo o mais rápido possível. Sempre podemos tirar muitas lições em meios aos sofrimentos. Mas sempre que possível, devemos e podemos evitá-lo.
8.      O sofrimento é resultado de uma maldição hereditária. Não existe maldição hereditária, isso é uma grande heresia. Leia os textos: Ezequiel 18.4, 13, 17, 19-20 (a alma que pecar, esta morrerá); João 9.1-3 (A cura de um cego de nascença). Cada pessoa é responsável pelos seus próprios pecados.
9.      O sofrimento e a alegria não conseguem conviver juntas. “Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã” (Salmo 30.5). Podemos e temos alegrias mesmo em meio as dores, porque nossa Alegria vem do SENHOR.
10.  Aquele que está sofrendo é porque não tem fé. O que diria Jó se ouvisse isso? A descrição dele é assim: Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal” (Jó 1.1). Creio que um homem com essa descrição não pode jamais, de maneira alguma, ser conhecido como alguém sem fé.
11.   Os seres humanos devem sofrer para evoluírem espiritualmente. Não, ninguém precisa sofrer para evoluir, isso é uma doutrina espírita, diga-se de passagem, totalmente contraditória aos seus princípios: Deve fazer o bem, mas também precisa sofrer para pagar o carma. Veja, se faz o bem eu estou me ajudando, mas estou prejudicando o outro a sofrer, então estou  evitando a evolução dele, logo, não estou fazendo o bem, mas o mal.

II - As Fontes do Sofrimento

De onde vem os sofrimentos?

1.      O Pecado do homem. Deus criou o homem à sua própria imagem (Gênesis 1.26). Isto significa que o homem tem consciência racional e livre arbítrio para decidir seus próprios atos. Essa liberdade explica por que o sofrimento se originou. Deus deu uma ordem quando criou Adão e Eva, eles estavam em um paraíso cheio de frutos bons, Deus autorizou que comessem de qualquer fruto que quisessem, exceto de uma árvore. Eles não creram em Deus e por não crer em Deus e na sua ordem, pecaram, foram expulsos do maravilhoso jardim e a punição trouxe sofrimento ao mundo, sobre eles e seus descendentes (Gênesis 3). São as conseqüências do pecado de Adão e Eva “... por um só homem entrou o pecado no mundo” (Romanos 5.12).

®    Não poderia Deus ter evitado que o homem pecasse?
Certamente. Ele poderia ter criado robôs ou bonecos que recitassem: “Eu te amo, vou fazer a tua vontade Senhor” e sempre que Ele desse corda neles cumpririam todas as suas ordens pelas quais foram programados para cumprir. No entanto, em vez disso, Deus preferiu criar os homens à sua imagem, com livre arbítrio, com decisões próprias.

®    Não poderia Deus ter dado aos homens livre escolha e só eliminar as más consequências que resultassem dessas escolhas?
Talvez, mas se tratando de Deus, seria logicamente impossível dar aos homens livre escolha e não lhes permitir decidir livremente. Ou seja, se assim fosse, as decisões dos homens não seriam totalmente autênticas, nem espontâneas e muito menos livres, pois seriam pré-programadas. Deus seria um manipulador e nós seriamos como fantoches em suas mãos. Sinceramente não consigo ter essa imagem de Deus. Por isso creio piamente no livre arbítrio que ELE deu para a humanidade.

Portanto, “o pecado original” (não crer na Palavra de Deus) é a raiz do próprio sofrimento humano, pois o homem após a queda não vê as coisas mais através do prisma de Deus, passou a enxergar através de sua própria ótica, uma visão contaminada pelo pecado. Por isso, o sofrimento resulta do pecado humano, direta ou indiretamente. A conclusão é que o sofrimento acontece porque Deus deu ao homem livre arbítrio e este resolveu pecar.

2.      Satanás. Ele é mentiroso, é o pai da mentira (João 8.44), é o nosso adversário e está como um leão ao derredor buscando alguém para devorar (1Pedro 5.8), é o deus deste século,  aquele que cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus (2 Coríntios 4.4). O príncipe deste mundo tem um plano para sua vida, saiba que ele deseja usar você; ele quer destruir os outros através de você e também anseia em destruir diretamente você. Ele fica irado, ele fica muito revoltado quando alguém está brilhando por Jesus. O maior intuito de satanás é manter a humanidade separada de Deus. Ele age no mundo e tem poder, todavia, como vimos anteriormente, nem tudo é obra dele.

3.      Nós mesmos. Quando nós erramos e muitas vezes pecamos, sofremos as consequências por conta de nossas decisões ao longo de nossas vidas, é impossível dizer que neste caso não somos responsáveis pelos nossos próprios sofrimentos. São as consequências de uma má decisão, ou de más decisões, sejam elas em grandes ou em pequenas dimensões, com toda certeza nos fazem sofrer.

4.      Outras pessoas. Quando uma pessoa erra ou peca contra nós ou até mesmo contra outras pessoas e de alguma forma somos atingidos por causa deste erro e fatalmente pode nos levar ao sofrimento. Da mesma forma a sua decisão pode não apenas atingir você mesmo, mas também terceiros.

Outro ponto importante e necessário é que o perdão é essencial, John Piper disse certa vez que “Se guardarmos a mágoa é porque duvidamos do juiz”.  Deus é o “justo juiz” e somente Ele quem julga a causa retamente, nós podemos ser tendenciosos. O cristão deve vencer o mal pela bondade O apóstolo Paulo afirmou isso em Romanos 12.21: "Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem". Jesus vai além de fazer o bem, Ele disse: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mateus 5.44).

O Pr Sam Willians disse numa de suas aulas de pós graduação em aconselhamento bíblico da FTBC: “Responder o pecado com mais pecado é tomar partido do diabo”.

Outras pessoas podem ser responsáveis por nossos sofrimentos, mas não perdoar também nos causa sofrimentos, pois nos tornamos escravos do ódio e da mágoa. Vençamos o mal com  bem. Leiamos as orientações de Paulo em Romanos 12.15-21:

"15 Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram. 16 Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior. Não sejam sábios aos seus próprios olhos. 17 Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. 18 Façam todo o possível para viver em paz com todos. 19 Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: "Minha é a vingança; eu retribuirei", diz o Senhor. 20 Pelo contrário: "Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele". 21 Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem".

5.      Circunstâncias terrenas. Situações que acontecem no mundo, por conta da mente distorcida do homem pelo pecado, é iludido pelo próprio desejo, cobiça e ambição. O homem tem feito do mundo um “lixo”, por causa disso muitas catástrofes ambientais acontecem a todo momento e por vários motivos, decorrentes das mãos humanas (ao longo da história) gerando muitos sofrimentos e perdas. Muito se fala de ecologia, nosso ecossistema está cada vez mais prejudicado, com toda certeza vocês já tenha ouvido falar de “Aquecimento Global”.

Questionado a respeito do desastre que aconteceu na parte serrana do RJ (Janeiro de 2011), um garoto de mais ou menos uns 16 anos disse: “Deus não é culpado, isso é apenas uma resposta ao que o homem fez para a natureza”. Resposta inteligente e coerente.

III - Os propósitos de Deus nos sofrimentos

Será que Deus tem propósitos nos sofrimentos?

Aqueles que amam a Deus podem sempre encontrar benefícios nos sofrimentos: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8.28). Como pode o sofrimento ajudar os cristãos fiéis? Nós temos bênçãos através dos sofrimentos?

1.      Crescimento espiritual. O sofrimento ajuda os cristãos a ficarem mais fortes, maduros e firmes na fé. Jó era um homem devoto, mas pela aflição ele "cresceu" e se tornou um servo de Deus ainda mais forte e humilde. Passamos por provações, a nossa fé é constantemente provada é como o ouro que é purificado ao passar pelo fogo, assim também um cristão é purificado e fortalecido quando passa pela aflição (1 Pedro 1.6-7):

6 Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações,  7 para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”.

Muitas vezes a sua dor, ou melhor, a sua fé diante da dor, diante da situação, faz com que pessoas ao redor sejam edificadas sendo um forte testemunho. Bênçãos para ti e para outros. Por isso, o que sai da fornalha é melhor do que o que nela entrou. Esse sofrimento, então, não é necessariamente apenas porque temos errado, mas porque podemos fazer melhor, porque podemos olhar para Deus e aprender com Ele e também para não errarmos mais. “Claro que não precisamos sentar em um formigueiro para saber se vai doer”. Com certeza vai doer!

O sofrimento contribui para o consolo daqueles que sofrem. As nossas aflições podemos ajudar outros que também passam pela mesma situação, conforme 2 Coríntios 1.3-5:  "3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, 4 que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações. 5 Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação".

2.      Ele Disciplina por amor. A dor é uma grande ferramenta de ensino, não numa perspectiva “masoquista” (que sente prazer na dor) ou “espírita” (que é uma fonte para evolução espiritual para alcançar o nirvana), mas em Hebreus 12 revela que Deus disciplina os filhos que Ele ama, é um ato de amor e não de castigo. Pais terrenos também disciplinam seus filhos porque os amam e querem exercitá-los no caminho certo. Em vez de nos ressentirmos contra a disciplina de Deus, devemos apreciar que ele tenha bastante cuidado para conosco a ponto de nos corrigir.

"Nenhuma disciplina parece no momento ser motivo de alegria, mas de tristeza. Depois, entretanto, produz fruto pacífico de justiça nos que por ela têm sido por ela exercitados" (Hebreus 12.11).

O salmista reconheceu o valor do sofrimento em sua própria vida: "Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra... Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos" (Salmo 119.67,71). A disciplina de Deus gera crescimento espiritual. Se você é filho de Deus, Ele vai lhe buscar, vai disciplinar a ti por amor, mas “a chinelada de Deus dói”. Receba crendo que é por amor.

3.      Os Planos de Deus. Algumas vezes o sofrimento nos capacita a contribuirmos para o plano de Deus referente ao mundo. Jesus é o nosso exemplo, Ele sofreu para salvar o mundo, sacrificando sua vida para reconciliar os homens com Deus (Filipenses 2.5-8). Jesus suportou as dores e sofreu para ensinar seus discípulos como deveriam se comportar diante da dor. Zombaram Dele, foi injustiçado, bateram e cuspiram Nele, foi cruelmente crucificado. Porém, “entregou-se ao justo juiz” (1 Pedro 2.21-25).

José sofreu para que sua família pudesse ser salva da fome (Gênesis 45.5-7; 50.20). A prisão de Paulo resultou surpreendentemente em maior progresso do evangelho (Filipenses 1.12-18), tanto porque lhe deu oportunidade para ensinar os guardas que estavam acorrentados a ele, como também encorajar outros irmãos por sua atitude a pregarem a Palavra de Deus mais ousadamente. Os sofrimentos de Paulo também o qualificaram para confortar outros que estavam sofrendo como nós já lemos em 2 Coríntios 1.3-5.

Exemplo: O apóstolo Paulo e seu espinho na carne. A reação de Paulo quanto ao espinho em sua carne é um excelente modelo para se lidar com o sofrimento. Talvez Deus tenha deixado indefinida a natureza do espinho na carne de Paulo para que possamos usar e aplicar esse modelo em várias áreas a fim de nos ajudar em qualquer tipo de sofrimento que enfrentamos. Observe como Paulo lidou com sua dificuldade:

? Ele orou pela remoção do espinho três vezes. Certamente temos todo o direito de orar para que nossos sofrimentos sejam removidos. Não significa que será retirado.
? Ele aceitou o fato que teria que viver com o espinho. Nem todas as orações são respondidas positivamente aos nossos olhos. Jesus orou no jardim para que o cálice fosse afastado dele, se assim fosse a vontade de Deus, não foi a vontade do Pai. Quando Deus diz não, precisamos aprender a aceitar sua resposta. Jesus teria que passar pelo o que ele passou para salvar o mundo, para cumprir o propósito de Deus.
? Ele procurou bênçãos no espinho. E percebeu que isto o ajudava a evitar de se exaltar, aprendeu que a humildade era essencial para um servo e a confiança em Deus, pois sabia que estava em boas mãos. Precisamos simplesmente procurar as lições e as bênçãos em nossos sofrimentos.
? Ele aprendeu a regozijar-se com "seu espinho". Se alegrar com o espinho? Alguém pode pensar: Está louco! Sim, é porque ele compreendeu que a Graça de Deus bastava em sua vida. "Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte" (2 Coríntios 12.10).

O sofrimento com este olhar nos aproxima de Deus. Torna-nos dependentes Dele.

4.      Uma Perspectiva correta. Deus quer que vivamos como peregrinos aqui, entendendo que o céu é o nosso verdadeiro lar (Colossenses 3.1-4; Filipenses 3.20). Mas quando as coisas vão bem para nós nesta vida, muitas vezes sentimo-nos em casa (no mundo) e deixamos de almejar estar com o Senhor. As aflições nos ajudam a visar a verdadeira meta. Quanto pensamos no céu? (* MÚSICA: lá está o meu tesouro).

5.      Não sabemos todas as respostas. Muito sofrimento fica sem explicação. Jó passou seus dias implorando a Deus que lhe desse atenção e lhe explicasse porque sofria. Quando Deus finalmente apareceu, ele demonstrou que Jó não tinha capacidade nem para entender a resposta, muito menos para discutir com seu Ele. E no final, Jó aprendeu a confiar simplesmente em Deus. Algumas vezes o sofrimento que é inexplicável no momento, mais tarde é facilmente compreendido. Deus nunca prometeu que explicaria satisfatoriamente tudo o que acontece no mundo. Mas podemos confiar plenamente Nele. Isso é fé! "Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos" (Hebreus 11.1).

CONCLUSÃO
Vamos ler mais 2 textos e aplicá-los em nossas vidas.

1 Pedro 5.10 “Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco...”
? Vos APERFEIÇOARÁ, você sairá aperfeiçoado
? FIRMARÁ, você estará ainda mais firme.
? FORTALECERÁ da mesma forma, você estará mais fortalecido
? e FUNDAMENTARÁ terá suas bases bem fundamentadas, alicerçadas em Cristo.

Isaías 43.19 (NVI) “Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não a reconhecem? Até no deserto vou abrir um caminho e riachos no ermo”

Devemos perceber a ação de Deus, olhamos o deserto e não percebemos o caminho que Deus está abrindo para nós.  “O DESERTO É OPORTUNIDADE PARA CRESCER E APRENDER COM DEUS”

O objetivo é chegar à Maturidade de Cristo a Maturidade que DEUS deseja. E concluo que “Diante do Sofrimento, não há melhor resposta do que Confiar em Deus e ter a certeza de que ELE está no controle de Todas as coisas”.

Portanto, Cuidado com os mitos a respeito do sofrimento. Analise muito bem as fontes dele e Creia nos propósitos de Deus em meio aos sofrimentos para a sua vida.

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Clique no link abaixo e baixe o slide da mensagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth