sexta-feira, 6 de julho de 2012

Assunto seu, não meu...



"... temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.  Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo" (1 João 2.1b-2).

Como a maioria já sabe, estamos morando em Toledo-PR, tive duas experiências interessantes de evangelismo. Tenho dentro de minha agenda alguns boletins da minha igreja e quando Deus me dá oportunidade tento evangelizar com eles.

1º Experiência: Fui ao centro da cidade para comprar umas coisas e passei numa lan house, o atendente começou a conversar falar dele, a conversa esta indo bem até que ele perguntou o que fazia em Toledo, respondi: Sou pastor da Igreja Batista Central,  imprimi o arquivo que precisava e ofereci para ele o boletim e disse que se ele precisasse de alguma coisa no boletim tinha os nrs. dos meus celulares e e-mail, ele teve uma reação inesperada.

- Obrigado, mas não sou religioso!
- Não tem problema, não sou pastor só dos membros da igreja, sirvo a quem precisa de ajuda.
Ele insistiu:
- Mas eu não sou religioso! E fez uma cara de recusa.
-  Você não é religioso, mas todos nós precisamos de amigos, posso ser seu amigo se quiser. Ele deu um sorriso sem graça e disse: Tudo bem!

2º Experiência:  Levei o meu carro para arrumar e ao fazer o pagamento, ofereci o boletim para o rapaz, veja como foi o diálogo:

- Não me incomode com esses folhetos cristãos, eu não tenho interesse nisso!
- Serio? Mas trata-se de coisas tão importantes.
- O que seria?
- Sobre A cruz de Jesus Cristo.
- Homem, pare com essa tolice, já disse que não me interesso por essas coisas de religião e recuso-me a falar sobre isso.
- Tudo bem então, mas é algo sobre você! Mas se você não se interessa então não vou lhe incomodar.
- Senhor, tu nem me conheces e como poderia ter escrito algo sobre mim?
- Digamos que se você fosse à uma delegacia de polícia e em cima da mesa tivesse um documento com seu nome, você iria se interessar pelo?
- Claro que sim! Ali teria coisas sobre a minha pessoa, com certeza deve ser algo importante.
- É mesmo? Então, querido, acho que não deveria falar com tanto desprezo sobre as cruz de Jesus Cristo, porque o que nela foi feito diz respeito à sua documentação. A morte de Jesus tem a ver com seus assuntos pessoais, com a sua história, com a minha e com de toda a humanidade. O nossos pecados foram negociados ali, naquela cruz, você sabia disso?
- Meus assuntos? Pecados negociados na cruz, como assim?
- A Bíblia pode esclarecer melhor isso. Isaías 53, está escrito assim: "Porém ele estava sendo castigado por causa das nossas maldades. O castigo que nos traz a paz e vida eterna está ligado a Jesus. Nós somos curados pelo castigo que Ele sofreu" (parafraseado). A cruz de Cristo diz respeito a você e à sua vida, seu passado, presente e futuro.
Naquele instante o homem chorou. Parece ter entendido a mensagem da salvação. Ficou calado por um momento e aceitou o boletim. Não sei o que aconteceu depois, mas em breve voltarei lá para saber.

Jesus não quer religiosos, deseja adoradores, servos e pecadores arrependidos. E para você? A Cruz de Jesus Cristo é um assunto seu, ou não? Pense nisso!

No amor de Cristo, Pr Paulo Berberth

Um comentário:

  1. Prezado colega Pr. Paulo,
    suas experiências provam a necessidade de uma confrontação séria e atual mostrando a relevância do Salvador.
    Continue no labor da obra do Mestre.
    Um forte abraço
    Em Cristo
    Pr. Luiz Fernando
    MINISTÉRIO FORÇA PARA VIVER

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth