quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Você não me Entende!


Mensagem do dia 28/10/2011 (Sexta/noite)
Formatura do Curso para Casais– Primeira Igreja Batista Mamborê

“Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gênesis 2.18).

Introdução
Falar para casais sobre relacionamento no casamento (sendo eu solteiro) é um grande desafio, mas temos a palavra de Deus que nos orienta a respeito de como devemos agir como casais e acima de tudo como cristãos. Eu quero falar mais especificamente sobre o relacionamento do casal: Como entender o seu cônjuge? Será que há a possibilidade de entender e de conhecer o seu cônjuge?

Todos nós sabemos que o casamento é um relacionamento sujeito a desgastes, tensões, discussões e muitas vezes brigas. Quanto mais um compreender e conhecer ao outro, menores serão os problemas e melhor será a harmonia entre o casal. Devo dizer que muitas pessoas falam besteiras e sinceramente se eu fosse ouvir certos conselhos não iria querer me casar, porque a visão que nos passam de casamento é totalmente negativa, porém, creio que o casamento é uma obra maravilhosa de Deus e eu almejo isso com todo o meu ser e de todo o meu coração, com todas as minhas forças. Quero muito! “Porque não é bom que o homem esteja só”.

Por isso, darei 4 Sugestões para entendermos melhor o cônjuge:

1ª SUGESTÃO: Lembre-se que o seu cônjuge é do sexo oposto.

Bem óbvio, não é verdade? É, mas às vezes nos esquecemos disso. Isso basta para explicar grande parte das diferenças nas reações, na maneira de ver as coisas, nas expectativas e nas atitudes. A constituição física, mental e psicológica do homem e da mulher é muito diferente. Vários livros já foram escritos sobre isso. A própria Bíblia faz uma diferenciação entre o homem e a mulher:

1Pedro 3.7: “Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações”.

  • consideração: grego: “time” = honra, deferência e respeito.
  • frágil: grego: “asthenes” = delicada, frágil, fraca.

Ser diferente, não quer dizer que seja superior ou inferior, é apenas diferente. O interessante é que você sabe dessas grandes diferenças, mas parecem esquecer e ficar chateado quando a esposa/marido age de maneira diferente da esperada, principalmente quando é algo que você não gosta.
  • Homens: Da próxima vez que sua mulher lhe parecer a pessoa mais infeliz do mundo porque você não conseguiu esconder que não gostou muito do penteado dela, não se frustre, lembre-se Ela é mulher! Não é frescura! Ela vai mesmo ficar chateada com você.
  • Mulher: Da próxima vez que seu marido procurar mil razões lógicas para resolver o seu problema (dar desculpas), enquanto tudo o que você mais precisaria naquele momento era ser ouvida, ser consolada receber carinhos, mas não se irrite, lembre-se ele é homem! Espere o momento certo para falar com seu marido.
Com essa nossa sociedade hoje em dia, onde as mulheres conquistaram muitas coisas e muitas das vezes estão à frente dos homens, tem melhores salários, veio também outros problemas. A mulher é incrível, ela tem uma capacidade enorme de “superação” e o homem tem uma capacidade enorme de “acomodação”. Por isso os valores de Deus devem permanecer, mas estão sendo distorcidos. O homem é o cabeça do lar, e a mulher deve ser submissa. Isso não é machismo é um princípio divino. E submissão não significa ser inferior, significa estar ao lado. E ambos devem ter a consciência de que são diferentes e possuem funções diferentes no lar. No entanto, são iguais diante de Deus.

2ª SUGESTÃO: Considere que seu cônjuge nasceu e cresceu numa família diferente da sua.

Cada um teve sua história. Ou seja, foi educado por pessoas diferentes das que educaram você. Cresceu em outro ambiente, em condições diferentes com hábitos e costumes diferentes dos seus. A experiência de vida dos dois foi diferente, talvez completamente diferente. Coloca 2 pessoas assim para viverem juntas, como não ter divergências de opiniões? Um gosta de dormir cedo, o outro tarde. Um gosta de determinada comida o outro não. Um tem mania de roer unhas. Um toma muitos banhos e o outro não gosta de tomar banho (aí é duro heim). Um é apegado à família o outro não. E assim por diante...

É claro que é natural estranhar tais diferenças e isso vai ser refletido até mesmo na educação dos filhos, nos modos e costumes domésticos, gostos pessoais, maneira de gastar dinheiro, temperamento etc. E nos momentos de tensão, em vez de se irritar com as divergências e diferenças, é melhor encará-las com sabedoria, maturidade procurando compreender o outro, afinal, ele/ela aprendeu assim. Lembre-se ela/ele é diferente de você.

3ª SUGESTÃO: Não esqueça que seu cônjuge deve ter capacidades diferentes da sua.

A competição não deve existir. Não apenas inteligência como quoeficiênte de inteligência (Q.I.), mas no sentido mais amplo, capacidade de compreender determinadas situações, analisar dados, tirar conclusões, avaliar as possíveis decisões. Um é mais rápido no raciocínio que o outro.

A questão aqui não é saber quem é mais inteligente. Aliás, pode até ser que o marido seja mais inteligente numa certa área e a mulher em outra. A mera lembrança de que as capacidades de analisarem a vida são diferentes, é de grande ajuda para compreender melhor o outro. Lembre-se, cada um tem suas capacidades e limitações pessoais. É necessário compreender a fraqueza e é necessário reconhecer as virtudes do seu cônjuge.

4ª SUGESTÃO: (Casal crente): Lembre-se que seu cônjuge pode ter nível espiritual diferente do seu.

Neste ponto, trata-se de uma área onde não entram a inteligência, o tipo de criação e nem se é homem ou mulher, mas a capacidade de ver e entender as coisas pelo ângulo de Deus e de agir nessa direção. Trata-se da espiritualidade e maturidade de cada um. Isso é individual. Cada um tem seu relacionamento com Deus.

·         Jesus deixou de ensinar certas verdades aos discípulos porque, no nível espiritual em que estavam, não iriam compreender, João 16.12: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora”.

·         Os Crentes de Corinto não receberam alimento sólido porque eram carnais, só leite, 1Coríntios 3.1-2: 1 Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.  2 Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais”.

·         O Apóstolo Paulo orienta os gálatas:

Gálatas 6.1-2: 1 Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.  2 Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo”.
No caso de um casal crente, grande parte das divergências de opiniões e de conflitos, pode ser explicada pelo desnível espiritual. Ter consciência disso ajuda a compreender melhor o outro.

Exemplo: Numa crise financeira, o marido pode andar angustiado e mulher calma. Em vez de ficar irritado, achando que a mulher não está dando a devida atenção ao assunto, é melhor ele reconhecer que ela está mais confiante em Deus do que ele. Cada um tem o seu relacionamento com Deus. Respeite isso.

Conclusão
Após essas quatro sugestões, quero dar uma notícia RUIM e uma BOA.

A RUIM: por mais explicações e sugestões que procuremos, o fato é que a capacidade de entender o cônjuge sempre será muito reduzida, para não dizer que às vezes é impossível. O ser humano é complexo demais para penetrarmos na sua mente e alcançarmos suas motivações, propósitos, modo de reagir, etc. Mesmo seguindo rigorosamente todas as sugestões acima, muitas vezes o que vamos conseguir será muito pouco. Frustrante? Nem tanto. E é aí que entra a BOA notícia:

A BOA: não é preciso compreender 100% o seu cônjuge, até porque isso será impossível, e também não me lembro de uma só passagem na Bíblia que mande alguém compreender o próximo “neste sentido”. Todos os tipos de atitudes corretas para com o próximo se resumem em AMAR:

Mateus 22.37-39: 37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Mas o Amor é prático e não apenas um sentimento. O amor é ação, é uma escolha. Eu escolho amar meu cônjuge, mesmo em meio tantas diferenças. Isso inclui:

* suportar – Efésios 4.2: toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor”. (Ser suporte).
* perdoar – Colossenses 3.13: Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós”.
* ser compreensivo – Romanos 12.16: “Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos”.
* ter misericórdia – 1Pedro 3.8: Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes”.

Quem aplica essas virtudes com o cônjuge, simplesmente não precisa compreendê-lo 100%! E todas as sugestões acima, eram brincadeira? Não! Somos seres racionais, lógicos. Quanto mais você puder compreender e conhecer seu cônjuge, mais fácil e suave será o seu relacionamento. Mas é importante que não crie expectativas erradas, achando que esse nível de compreensão tem de ser muito alto para o casamento ser bom. 

A qualidade do seu casamento dependerá basicamente de aplicar nele os princípios bíblicos, especialmente o de AMAR o seu cônjuge, isto é, querer o bem dele e se esforçar para isso, com o objetivo de fazer ela/ele a/o mais feliz do mundo. Em suma: a qualidade de um casamento não dependerá do grau com que marido e mulher se compreendem, mas do grau com que eles se amam e praticam este amor. Amém!

“Ame sua esposa... Ame seu marido... Ambos: busquem no Senhor Graça e Sabedoria para viverem bem todos os dias”.

No amor de Cristo, 


Pr Paulo Berberth

Um comentário:

  1. Amigo pastor
    CAsamento é sim uma instituição formada por Deus......
    Achei lindo seu texto, sou casada e confesso q ñ tem sido fácil manter o casamento até aki, e olhe q só temos 3 anos de casados. mas, graças a Deus até aki tem nos ajudado o Senhor, o segredo na verdade tem sido em tentar ao máximo compreender o nosso conjuge, eu chegeui a ler artigos e mais artigos sobre como entender o sexo masuclino...rsrsrs
    entendi e compreedi q o homem é prático e a mulher é emocional.
    A mulher quer ser amada, respeitada e reconhecida em seus feitos.
    O homem que ser tbém respeitado e amado. mas acima de tdo ele é mto prático e racional.
    se nos preocuparmos em fazermos o nosso conjuge feliz e ñ em apenas sermos felizes, as chances do seucesso será bem maior.
    Olhe que convivo com jugo desigual, (marido afastou-se dos caminhos do Senhor) por isso o motivo da crise, mas, depois q aprendi e entendi q minha luta ñ é contra ele, nós temos vivido cda dia melhor, graças a Deus.
    nos respeitamos e ele passou tbém e me compreender.
    Sou super emotiva e ele super racional ( fizemos mtos cursos de casais, palestras, seminários e até mesmo qnd noivos, mas ele infelizmente ñ tomou posso do que ouviu) mas, pela graça e sabedoria q Deus tem me dado, nunca mais tivemos desentendimento.
    hj o compreendo melhor e vice e versa, mas, confesso q foi um missão mto difícil.

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth