sexta-feira, 29 de julho de 2011

JÓ: Ousadia na Oração II


Mensagem do dia 27/07/2011 (quarta-feira) 
Igreja Batista Aeroporto de Campo Mourão

Série: Orações na Bíblia-02

No estudo anterior, nós vimos a importância da Intimidade com Deus e como Jó se relacionou com ELE. Vimos a necessidade de estarmos próximos a Deus e conhecê-Lo de fato como ELE é.

Hoje vamos estudar sobre...
II – SÓ HAVERÁ GRANDEZA QUANDO HOUVER HUMILDADE

Jó, um homem de piedade e integridade notáveis, foi abençoado por Deus com tamanha prosperidade terrena que se tornara “o maior de todos (os homens) do Oriente” (1.3). Subitamente, Jó experimentou uma perda total, Foi assolado por uma série de calamidades e privado de todas as suas posses, além de perder os filhos (1.13-19). Teve o corpo coberto por feridas repulsivas (2.7). Perdeu até mesmo o respeito da esposa (2.9-10).

Essas calamidades vieram sobre sua vida sem causas aparentes, nada que justificasse tamanha punição. Três amigos, que vieram para consolá-lo, insistiam que esse sofrimento era um castigo contra o seu pecado e, portanto, seu único recurso era o arrependimento, mas ele continuou “batendo na tecla da inocência e da justiça própria”. Até determinado ponto ele estava certo, todavia, aos poucos, começou a questionar a sorte, chegando a amaldiçoar o dia em que nasceu (3.1). Um deles (Eliú) disse que Jó estaria passando por uma disciplina amorosa enviada por Deus para impedi-lo de cair noutros pecados. Essa interpretação também foi rejeitada por Jó.
 

Parece que Deus “deu corda” a Jó, deixando ver até onde ele iria em sua indignação. Deus não intervém de imediato cada vez que nos desviamos da verdade. Ele dá espaço para que sejamos nós mesmos, Ele nos permite usar do livre arbítrio para tomarmos nossas escolhas, mas ELE não deixa de nos mostrar (no tempo certo) quem de fato somos, onde estamos pisando, seja pela experiência, seja pela razão, seja pela vida e palavra de outras pessoas. Ele também se revela mostrando quem é.

Então, o Senhor interferiu naquele processo de lamentação de Jó, o interessante é que Deus não responde com uma justificativa de suas ações, nem com alguma solução intermediária, mas com sua manifestação pessoal em sabedoria e poder. E aparecendo Deus a Jó na forma de redemoinho (38.1; 40.6), interpelou dizendo:  

“... quem é você para pôr em dúvida a minha sabedoria?” (Jó 38.2 NTLH)

“... Será que você está querendo provar que sou injusto, que sou culpado e você é inocente?” (Jó 40.8 NTLH)

Isso foi suficiente para Jó, ele entende que Deus, por ser quem era, tinha de apresentar uma solução, portanto, Jó descansa nessa solução pela fé. Cabe aqui uma observação, embora o tema do sofrimento e sua causa em todo o texto seja dominante,  o livro serve para uma finalidade mais ampla: mostrar que a certeza da fé não reside nas circunstâncias externas, nem em explicações especulativas, mas no encontro de fé com um Deus onisciente, onipotente e soberano.

Além disso, de uma forma mais especifica, nós aprendemos também que: quanto mais se exige de Deus (seja o que for), bens, cura, respostas, mais declaramos a nossa ignorância a Seu respeito. Quanto mais nos vemos reduzidos e indignos de qualquer exigência, maiores perspectivas teremos de ser abençoados por Deus. A Graça de Deus significa o Favor de Deus não merecido.

“cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua Graça” (1Pedro 5.5).

Diante da majestade Divina que se “descortinou” a Jó, sua estupidez, insensatez e insignificância moral, intelectual e física foram evidenciadas, ou seja, não somos nada diante de Deus. Então, Jó se viu reduzido às suas verdadeiras dimensões. E se somos alguma coisa, é porque Ele nos conferiu honra.

Devemos tomar cuidado para não fazermos cobranças e exigências ao nosso Deus, mesmo que seja baseado em suas promessas, ELE não tem nenhuma obrigação para conosco, na verdade, nós é que temos com Ele. Mas para isso, temos de ser humildes.

Nós já vimos:
I – SÓ HAVERÁ PROXIMIDADE QUANDO HOUVER INTIMIDADE
II – SÓ HAVERÁ GRANDEZA QUANDO HOUVER HUMILDADE

Teremos ainda mais dois estudos, prepare-se:
III – SÓ HAVERÁ FAVOR QUANDO HOUVER TEMOR
IV – SÓ HAVERÁ RESPOSTA QUANDO HORVER MUDANÇA

No amor de Cristo,

Pr Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth