quinta-feira, 23 de junho de 2011

SENHOR, ensina-nos a orar I


Mensagem do dia 22/06/2011 (quarta-feira)
Igreja Batista Aeroporto de Campo Mourão

Série: Orações na Bíblia-01
Texto: Lucas 11.1-13

Introdução

Nesta série “Orações na Bíblia”, estudaremos sobre o testemunho de diversos personagens na história bíblica e suas experiências através da oração.

“Jesus estava orando em certo lugar...”. É assim que começa o texto bíblico de nossa reflexão. Imaginar esse ambiente de oração e acima de tudo, conferir de perto o relacionamento de Jesus com Seu Pai é algo maravilhoso. Por isso que um dos seus discípulos tomou a iniciativa de pedir: “Senhor, ensina-nos a orar?”.

Era costume dos rabinos naquela época ensinarem seus seguidores a fazer breves orações. Jesus não somente aproveitou para ensinar um modelo breve de oração (registrado também em Mateus 6.9-15), mas também contou uma parábola a fim de ilustrar o valor da confiança e da esperança que devemos ter em Deus. E finalizou ensinando que devemos ter consciência do amor e da misericórdia do Pai celestial em atender nossas orações.

Portanto, Jesus ensinou aos seus discípulos algumas valiosas lições, o que podemos aprender com o Mestre?


       I.  A necessidade de um ENVOLVIMENTO pessoal com o Pai.

Lucas 11.2-4: 2 Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;  3 o pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia;  4 perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve; e não nos deixes cair em tentação”.

A Oração começa com o Pai. Orar é muito mais que falar com Deus, é reconhecer sua soberania, grandeza e reconhecer nosso lugar. ELE é o “Pai e Santo é seu nome”, nós os filhos. Exaltemos o Nome Santo de Deus. À Ele seja a Glória e Honra para sempre. Amém!

A Oração revela submissão à vontade de Deus. “... venha o teu reino...” Devemos reconhecer a necessidade do governo de Deus sobre nossas vidas, por isso precisamos nos sujeitar inteiramente à sua vontade de Deus, como fez Jesus em sua relação com o Pai. Jesus além de Deus é o Senhor de nossas vidas. Ele Reina em nossos corações. Muitos o querem como Salvador, mas não como Senhor. Desejemos Seu Reino Senhor!

A Oração registra petição pelo nosso sustento. Temos liberdade de pedir em favor do nosso sustento diário, v 3 o pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia...” Pedir com sabedoria, o necessário e não o que não precisamos. Tiago 4.3: “pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres”.

A Oração inclui confissão dos pecados. v.4 perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve...” É importante ter humildade para reconhecermos que os nossos pecados entristecem o coração de Deus. Além disso, podemos confiar no perdão de Deus.  1João 1.9: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. É importante compreendermos que o perdão deve se estender ao próximo, assim como somos perdoados pelo Pai, devemos perdoar aqueles que nos ofendem. Não é fácil perdoar dívidas, mas fomos perdoados pelo Pai e devemos liberar perdão.

A Oração orienta que peçamos pela proteção divina contra tentações. “... e não nos deixes cair em tentação”. Nunca devemos duvidar de nossa capacidade de pecar. Somos tentados por aquilo que desejamos (Tiago 1.13-15). Há uma luta constante entre a carne e o espírito, vencerá aquele a quem for mais alimentado.

No Amor de Cristo,

Pr Paulo Berberth

2 comentários:

  1. Gostei meu amigo... Estou no aguanto do restante da série sobre oraçao. =D

    ResponderExcluir
  2. Gostei meu amigo!
    Estou no aguardo do restante da série sobre oração.

    Que ela (a série) possa estar abençoando a muitos!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth