quinta-feira, 5 de maio de 2011

Atalaias de Deus


“Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o Dia do SENHOR vem, já está próximo” (Joel 2.1)

O livro de Joel é maravilhoso (assim como toda a BÍBLIA, claro!), mas nesses dias estive estudando ele e queria compartilhar algumas coisas com vocês, meus amados leitores. Então, vamos primeiramente ao contexto do livro: O nome Joel significa: “o Senhor é Deus”. O tema do livro poderia ser: “O Dia do Senhor vem”. Esta era a mensagem de Joel: Juízo, Arrependimento e Restauração. É importante destacar o pano de fundo de sua mensagem, ou seja, em qual situação veio a Palavra do Senhor a Joel?

Suas profecias tiveram como pano de fundo uma catástrofe que assolou Jerusalém – uma praga de gafanhotos. Tais acontecimentos serviram como advertência de uma nova e maior calamidade que afetaria a todos no futuro: o Dia do Senhor (2.1-11). Mas ainda havia tempo para o arrependimento (2.12-17). Se isso acontecesse, Deus poderia restaurar a terra e o povo saberia que Deus estava presente em Israel e que só ELE é Deus (2.27). Após o arrependimento, um grande derramamento do Espírito de Deus traria uma renovação maravilhosa antes do “grande e temível Dia do Senhor” (2.31). E todos os que invocarem o nome do Senhor serão salvos (2.32). O monte Sião e Jerusalém serão o palco desse grande livramento (2.27).

Não se trata de uma explicação alegórica, nem uma visão apocalíptica (embora exista também essa conotação); as evidências apontam para um ataque real e avassalador do mais temível batalhão da antiguidade – “o exército de gafanhotos” (2.7-10). Os enxames de gafanhotos surgiam inexplicavelmente aos bilhões, escurecendo os céus com uma medonha e ensurdecedora nuvem alada, voando a mais de 50 metros de altura. Quando pousavam, a terra ficava arrasada; devoravam as lavouras, as pastagens, os pomares, as hortaliças, os jardins e não perdoavam nem as roupas nos varais, artesanatos domésticos e tudo mais que encontravam pela frente (1.4-7), ele relata: O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor (1.4).

Por isso Joel convoca o povo para jejuarem e orarem (1.14). E vem seu alerta: “Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o Dia do SENHOR vem, já está próximo”. E disse ainda: “Sim, grande é o dia do Senhor e mui terrível! Quem poderá suportar?” (2.11).

Joel o Atalaia do Senhor. Os atalaias em suas torres de vigia tocavam as trombetas a fim de alertar o povo de uma localidade quanto a aproximação de algum exercito inimigo. O “atalaia” Joel, anunciou com voz de trombeta: “Vem aí algo pior que os gafanhotos... vem aí o Dia do Senhor”. Imaginem o impacto que tal advertência deve ter causado na mente e coração de seus contemporâneos! A iminência do juízo de Deus nos leva a presenciar atônitos a dois extremos da tolice: de um lado aqueles que estavam de coração petrificado, alheios às advertências do SENHOR; de outro lado estão os promotores da histeria religiosa em busca de caminhos fáceis para escapar do juízo. Mas não tem jeito, toda a humanidade enfrentará este dia, o Dia do Senhor.

O povo em sua hipocrisia religiosa, pensavam que conquistaria misericórdia divina rasgando suas vestes e lançando cinzas sobre a cabeça, mas Joel enxerga uma outra saída; provavelmente a única “arma capaz de protegê-los nesta difícil situação: o Arrependimento e a Confissão”. 2 Assim diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto.  13 Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus, porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (2.12-13).  

Deus não se agrada de religiosidade. Jerusalém orgulhava-se por sediar a religião judaica, mas com o tempo essa fé tornou-se inócua e o que era sagrado tornou-se profano. Deus já não se agradava dos holocaustos e das ofertas rotineiras desprovidas de sinceridade e pureza. “Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros”. (1 Samuel 15.22)   

O coração dos ofertantes tornara-se reprovável aos olhos do Senhor e a repreensão veio pelos gafanhotos, retirando-lhes a possibilidade de ofertar e de exercitar a religiosidade que tanto gostavam. O profeta Joel procurou animar o povo: “renovem suas esperanças... arrependam-se... e haverá restauração na proporção das bênçãos que tínhamos outrora” (2.18-27). E “todo aquele que invocar o nome do Senhor será Salvo” (3.32). Você pode estar se perguntando e o que essa mensagem tem haver comigo?

Responderei: Tudo!

Porque você e eu passaremos por este Dia e certamente teve um dia em que entendemos o propósito de Salvação de Deus para as nossas vidas e tomamos uma decisão por Cristo. Se você já tomou essa decisão, assim como eu já fiz, então saiba que temos uma missão muito importante; Ser ATALAIAS DE DEUS, pois o dia do Senhor vem. A mensagem é a mesma e sabemos que há muitos ainda que não se arrependeram e sofrerão no dia do Juízo. Você e eu, nós somos responsáveis para proclamar bem alto como voz de trombeta, que Jesus Virá e que ainda há tempo para o arrependimento e confissão dos pecados para a Salvação Eterna.  

Seja um “Atalaia de Deus”. Anuncie as Boas Novas de Salvação para os que perdidos estão.

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth