domingo, 27 de fevereiro de 2011

Senhor, Tu és bom!


“Oh! Provai e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia”. (Salmo 34.8)

Há uma música que amo cantar, o inicio dela é assim: “Senhor, tu és bom. Tua misericórdia é para sempre...” e no final cantamos: “Deus é bom o tempo todo, o tempo todo Deus é bom...”. No entanto, vira e mexe ouvimos pessoas dizerem: “Se Deus fosse bom, não deixaria coisas ruins acontecerem no mundo”. Penso que se o homem fosse mais sábio, prudente e obediente ao Senhor, não causaria tantos males para si mesmo. Deus nada tem haver com a incrível capacidade humana de trilhar caminhos maus. Oras se percorrem caminhos maus, logo, chegarão a destinos maus.

Também já disseram que Deus no AT é um Deus mal e no NT (em contraste com Jesus) é um Deus bom. Tais declarações contradizem as claras afirmações do AT: "Bom e reto é o Senhor, por isso, aponta o caminho aos pecadores" (Salmo 25.8). E também do NT: "Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim" (João 14.10-11). Nada mudou, Deus é o mesmo.

Deus criou o mal?

Algumas pessoas declaram que sim! E utiliza a Palavra de Deus como argumento para defenderem este pensamento,  inclusive querem definir o caráter de Deus como um ser mal, estou me referindo ao texto de Isaías 45.7 que Deus diz: "Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas". Claro que esta é uma verdade inegável esta afirmação de Deus. Deus faz todas as coisas. Agora, como devemos entendê-la?

Outros utilizam o mesmo versículo para dizerem que em Deus há um lado bom e outro mal. Tal idéia é representada em símbolos pelo famoso "yin-yang". Mas, o Deus verdadeiro não é um conjunto de forças opostas, Ele é perfeitamente bom e não contém nada de maldade. "Deus é luz, e não há nele treva nenhuma" (1 João 1.5).

Outro ponto é o conceito da soberania de Deus, chegando ao ponto de negar o livre arbítrio do homem. Segundo este sistema teológico: Deus decreta tudo e o homem é impotente para resistir a vontade dele em todas as áreas e em tudo. Afirmam que Deus “predestinou” pessoas para a salvação e outras para condenação eterna e que Jesus morreu somente para salvar as pessoas eleitas pelo capricho de Deus. Somos como “marionetes” nas mãos de um Deus manipulador? É isso? Não. Tais doutrinas são falsas. Veja:

  • Deus chama todos ao arrependimento (Atos 17.30);
  • Porque Ele não quer que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento (2 Pedro 3.9);
  • Por isso a Graça de Deus se manifestou salvadora a todos os Homens (Tito 2.11);
  • Jesus provou a morte em favor de todos (Hebreus 2.9).
  • Deus amou todos os homens do mundo e não apenas alguns, para que todo aquele que Nele crer não morra, mas tenha a vida eterna (João 3.16);
  • Ele mandou que os apóstolos pregassem o evangelho a toda criatura e prometeu a salvação àqueles que cressem e depois de crer que fossem batizados como símbolo desta fé (Marcos 16.15-16).
E Isaías 45.7. O que Deus fez? Outras passagens nos ajudam. Deus não criou o mal no sentido moral. "Pois tu não és Deus que se agrade com a iniqüidade, e contigo não subsiste o mal" (Salmo 5.4). Deus não tenta ninguém, pois ele é a fonte de "toda boa dádiva e todo dom perfeito" (Tiago 1.12-17).

A palavra "mal" em Isaías 45.7 vem de uma palavra original que pode ter vários sentidos. Neste contexto e em outros, onde Deus faz ou traz o mal, a palavra significa: "calamidade", "punição", “desagradável”, “desagradável ao que sofre”, “disciplina”, “Correção”. Neste caso é óbvio que se trata de algo ruim, como afirma o autor de Hebreus: "Nenhuma disciplina parece no momento ser motivo de alegria, mas de tristeza. Depois, entretanto, produz fruto pacífico de justiça nos que por ela têm sido exercitados" (12.11).

E o apóstolo Pedro afirma que a nossa fé é provada: “6 Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações,  7 para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”. (1 Pedro 1.6-7).

E que vamos sair delas ainda melhores: “Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco vos aperfeiçoará, firmará, fortalecerá e fundamentará” (1 Pedro 5.10).

Concluo dizendo: Provai e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia”.

Aquele que nunca O provou, não pode dizer que “gosto” ELE tem. Não pode jamais dizer quem ELE é. O que ELE faz e fez. Eu sou a prova viva de sua bondade e misericórdia e contra isso, não há argumentos.

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

2 comentários:

  1. Nossa Pastor... o senhor tirou de meu coração uma grande dúvida.
    Muito obrigada, "Senhor, Tu és bom!!!"
    bjs

    ResponderExcluir
  2. COMO SEMPRE.... MARAVILHOSO!!! COERENTE!!!! E MUITO BIBLICO!!!

    DEUS TE ABENÇOE

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth