sexta-feira, 30 de julho de 2010

Desinteressado, eu?


“Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo”. 1 Coríntios 15.10

O apóstolo Paulo não estava de maneira alguma desprezando os outros apóstolos, pelo contrário, ele disse no v. 9: eu sou o menor dos apóstolos, que mesmo não sou digno de ser chamado apóstolo, pois persegui a igreja de Deus”. Ele estava defendendo o seu chamado e mostrando que era firme e interessado pelas coisas de Deus. Por isso a Graça de Deus sobre ele não foi vã, ele deu muitos frutos.

O amor de Paulo pela obra de Deus fica evidente noutros textos como este que declara como um grito de guerra: Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele” (1 Coríntios 9.23).  E também sabemos que sua filosofia de vida era “viver para Cristo e se morresse era lucro”. Em Colossenses 3. 1 e 2  ele orienta a igreja buscar e pensar nas coisas de Deus. “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra”.

A grande questão é que naquele tempo e hoje em dia, muitos de nós não nos interessamos como deveríamos pelas coisas de Deus. Então percebemos pessoas desanimadas, inconstantes na fé, vivem com problemas emocionais, espirituais, pois apenas recebem e não transmite nada. Não é luz e nem sal, não refletem a Luz de Cristo e não tem sabor nenhum ao mundo. Porque será que há tanto desinteresse pelas coisas de Deus? Porque hoje em dia ouvimos cristãos dizerem: “Não precisamos de estudos bíblicos nem cânticos, só o fato de nos reunirmos já é suficiente”. Social sim. Espiritual não.

Nas cartas de Paulo a Timóteo fica evidente uma coisa: o estímulo à piedade. Trata-se de uma vida consagrada a Deus, fiel e de total interesse ao estudo, leitura, oração, intercessão e boas obras. O líder deveria ser Exemplo em todas as áreas, mas não se gloriar por isso, pois deveria e ao mesmo tempo ser humilde e servo, para que os demais o imitassem.

Amados, reflitamos a respeito dessas coisas e como nós temos nos comportado diante das coisas de Deus?

Finalizo com as palavras do Apóstolo Paulo em 1 Coríntios 15.57-58: Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, constantes (inabaláveis) e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão”.

Oração
“Senhor, peço-te que sejamos cada vez mais interessado pelas coisas do Alto. Busquemos, pensemos e pratiquemos tão somente porque esta é a TUA vontade. Em nome de Jesus. Amém”.

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

Um comentário:

  1. Paulo uma benção seu artigo, realmente estamos sucumbindo as coisas deste mundo, que Deus continue a lhe dar discernimento e sabedoria pra nos trazer bençãos!!!!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth