quarta-feira, 30 de junho de 2010

A bem-aventurança do perdão I


“Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não atribui iniqüidade e em cujo espírito não há dolo”. Salmo 32.1-2

Farei uma série baseada no salmo 32, que a meu ver é incrível, pois Davi expõe o que está em seu coração e descreve sua experiência com Deus falando do pecado, de suas conseqüências e a bem-aventurança do perdão. A benção de receber o perdão, a alegria de ser perdoado.

Este é o segundo “salmo penitencial”, ou seja, “salmo de confissão”. O primeiro é o 6. A lição principal do Salmo 32, é que estar em comunhão com Deus é bem-aventurança. “Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é coberto”. Por um momento, o salmista perdeu esta comunhão e agora depois de se arrepender e crer no perdão de Deus a recuperou, assim como a sua alegria. Por isso ele declara: “Bem-aventurado aquele que é perdoado”.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Blog EuDoulos









Olá pessoal.
Estou divulgando um blog chamado "EuDoulos"


Doulos (em grego) significa "servo", "escravo" - EuServo de Jesus Cristo. Um blog a serviço do REINO de DEUS.

sábado, 26 de junho de 2010

Saudades


“Pois minha testemunha é Deus, da saudades que tenho de todos vós, na terna misericórdia de Cristo Jesus” Filipenses 1.8

Saudades! Eu não sei por que, mas ela está sempre presente. O que é?  Como explicar? Alguém disse que a saudade é amar um passado que ainda não passou, é recusar um presente que machuca, é não ver o futuro que nos convida.

Penso que saudades é o sentimento mais urgente que existe. É como a fome que só passa depois de ter sido matada, é como a sede depois de ter sido saciada, é como o silêncio depois de ter sido quebrado. Nem gostamos de dizer adeus com medo de não falar Oi, ao mesmo passo que o até logo também é uma tortura.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Fila da humildade


26 Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo;  28 tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. Mateus 20.26-28

Como o orgulho e a vaidade podem subir à cabeça de uma pessoa, assim como o poder a autoridade, o cargo e a liderança podem transformar, digo isso porque se a gente reparar (claro não podemos generalizar), mas percebemos que há pessoas incorporam-se num personagem quando estão à frente de algo e se esquecem que na verdade o líder é líder para servir e não para ser servido, assim como Jesus ensinou e deu exemplo.

No contexto de Mateus 20 a mãe de Tiago e João faz um pedido “simples” para Jesus, ela pediu para que Ele permitisse que seus “queridinhos” sentassem um a sua direita e outro a sua esquerda no reino (v.21). Outro fato interessante é que os outros 10 se indignaram quando ouviram isso (v.24). Porém fico pensando: Porque eles se indignaram? Porque eles quem gostariam de estar ao lado de Jesus? Ou porque eles se escandalizam com a prepotência dos dois e de sua mamãe? Bom, não sei a resposta de fato, no entanto ambas são cabíveis e vale a pena refletir, portanto faça sua analise.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O Raly da Vida


O DESAFIO: 4 Então, saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, da altura de seis côvados e um palmo.  5 Trazia na cabeça um capacete de bronze e vestia uma couraça de escamas cujo peso era de cinco mil siclos de bronze.  6 Trazia caneleiras de bronze nas pernas e um dardo de bronze entre os ombros.  7 A haste da sua lança era como o eixo do tecelão, e a ponta da sua lança, de seiscentos siclos de ferro; e diante dele ia o escudeiro.  8 Parou, clamou às tropas de Israel e disse-lhes: Para que saís, formando-vos em linha de batalha? Não sou eu filisteu, e vós, servos de Saul? Escolhei dentre vós um homem que desça contra mim.  9 Se ele puder pelejar comigo e me ferir, seremos vossos servos; porém, se eu o vencer e o ferir, então, sereis nossos servos e nos servireis.  10 Disse mais o filisteu: Hoje, afronto as tropas de Israel. Dai-me um homem, para que ambos pelejemos”. 1 Samuel 17.4-10    

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Filosofia da Culpa


6 Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. 7 Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si” (Genesis 3:6-7).

Já ouviram falar na expressão: “transferência de responsabilidade”? Penso que se errar é humano, colocar a culpa nos outros, então nem se fala... rss. É engraçado como o ser humano tem uma incrível capacidade de não assumir suas responsabilidades ou tentar justificá-las de qualquer forma. Cá entre nós, tentar justificar o erro torna-se ainda mais errado, gosto de dizer: “explica, mas não justifica”. Errou, errou e pronto. Reconhecer o erro é uma virtude. Gosto de ser prático.

E isso acontece em várias áreas de nossas vidas, seja no mundo empresarial, ou em dentro de nossas famílias e digo isso desde pequenos que muitas vezes culpamos nossos irmãos pela “arte” que fizemos. Na escola, na faculdade e até mesmo por “incrível que pareça”, na igreja. Tenho uma notícia. Isso não é nada novo, você sabia? Na verdade é bem mais velho que podemos pensar, leiamos o texto abaixo: