quarta-feira, 26 de maio de 2010

“Penso, logo existo”


“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. Hebreus 11.1

A existência de Deus sempre foi motivo de questionamentos, não apenas hoje, mas desde os tempos longínquos, de modo especial nos tempos modernos. O homem busca a certeza absoluta para a sua própria existência. Mas Onde encontrá-la?

Umas das frases mais conhecidas de todos os tempos, “Penso, logo existo” dita e idealizada por René Descartes (1596-1650). Que no Discurso de método procurou novos caminhos para encontrar a certeza absoluta. Que de certa forma, obrigou-nos através de sua filosofia, a refletir criticamente sobre a questão da existência de Deus, a relação entre fé e razão, entre teologia, filosofia e ciências. Embora a filosofia seja tão mal entendida e diria que até repudiada por muitos, vale a pena algumas análises.

“Notei que, enquanto assim queria pensar que tudo era falso, era necessário que eu, que pensava, fosse alguma coisa. E notando que esta verdade, penso, logo sou, era tão firme e tão segura que as mais extravagantes suposições dos céticos não podiam abalá-la, julgava que podia aceitá-la, sem escrúpulo, como princípio da filosofia que buscava”. (Descartes, Discurso do método, 4)

René Descartes examinou tudo com sua própria razão, analisando o mundo pela experiência prática, usou a dúvida como caminho para encontrar fundamento sólido e inabalável para entender o mundo à partir dele mesmo. Ou seja, só é verdadeiro, se for claro e não causar dúvidas, se causar dúvidas é questionável, logo não é uma verdade absoluta.

Penso que talvez ele foi infeliz neste sentido, pois sua base e fundamento estava naquilo que ele mesmo conhecia e reconhecia de leitura do mundo, ele mesmo declarou como regra: “jamais acolher alguma coisa como verdadeira que eu não conhecesse evidentemente como tal; isto é, de evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção, e de nada incluir em meus juízos que não se apresentasse tão clara e distintamente a meu espírito, que eu não tivesse nenhuma ocasião de pô-lo em dúvida” (Discurso do método, 2).

E o mais engraçado, é que ele, a meu ver lá fundo de seu coração, reconheceu e percebeu sua limitada compreensão de Deus e por isso declara que “pode-se demonstrar que há um Deus, apenas porque a necessidade de ser ou existir está compreendida em a noção que temos dele”... “Que embora não compreendamos tudo o que está em Deus, não há todavia nada que não conheçamos tão claramente como as suas perfeições”... “Que não sendo nós a causa de Deus, e que, por conseqüência, há um Deus”.

Ou Seja, Deus é no fundo, o princípio que garante a interpretação do mundo. Ele é “A causa não causada”. Aquele que criou todas as coisas e que não foi criado. O Grande EU SOU. A Origem de tudo que  há debaixo do céu. O ALFA e o OMÊGA, o INÍCIO E O FIM. O maior passo para se compreender isso é pela Fé, pois.. “a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”... e que “de fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam”. Hebreus 11.1 e 6.

“Ao Senhor pertencem a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele habitam” Salmo 24.1.
Gosto de dizer que...
“Ninguém conhece melhor o produto do que o fabricante”.

Deus nos conhece perfeitamente, sabe tudo sobre nós, sabe de nossas qualidades e defeitos. Conhece o intimo do nosso coração. Conhece os nossos temores e medos. Sabe muito bem o que precisamos, sabe o que sonhamos, sabe o que planejamos e desejamos. E como não poderia deixar de ser, sabe o que é bom e ruim para nós, por isso ELE nos dirige, nos orienta a fazermos aquilo que é BOM, PERFEITO E AGRADÁVEL – A tua vontade (Rm 12.2b).

O problema é que Cremos e confiamos muito nos “controles” que criamos, ao ponto de nos sentirmos completamente seguros e estáveis dentro deles. Aí vem algum vento um pouco mais forte e tudo se vê abalado. Neste caso o que nos resta é fazer aquilo que já era óbvio desde o inicio. Confiar Em Deus, Buscá-lo e Crer em Tua Ação, ter FÉ.

“Penso, logo existo. Se existo, logo há Deus”.

Oração
“Senhor, obrigado por ter me dado a Fé. Pois Ela me conforta a saber que mesmo não entendendo as grandes questões que os seres humanos levantam, eu sei que posso Confiar e Crer que Tu estás no controle de todas as coisas. Em nome de Jesus. Amém!”

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth