sábado, 27 de fevereiro de 2010

Santificação VIII

(Mansidão)

“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra”. Mateus 5.5

Ao contrário do que muitos pensam ser manso não é sinônimo de bobo, frouxo, aquele que aceita tudo, aquele que fazem o que querem, não é uma característica fraca, mas é uma grande virtude que poucos possuem. A mansidão não é uma qualidade natural, porque se fosse não teria sido destacado pelo apóstolo Paulo como fruto do Espírito Santo, se é fruto, então é necessário a ação do Espírito Santo para frutificar em nós cristãos. Precisa de cultivo espiritual.

A palavra prautes é traduzida normalmente por “mansidão”, “humildade”, “amabilidade”. Prautes deriva da palavra praus “gentil”, “meigo”, “humilde”, “bondoso”, “amável”. Mansidão transmite o sentido de brandura, que é visto como a disposição de submeter-se a vontade de Deus. É uma atitude humilde que se expressa na submissão às ofensas, livre do desejo de vingança. Mansidão é o antônimo de Ira na outra lista que trata das obras da carne (Gl 5.19-21). Este fruto me faz lembrar de Cristo: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. (Mateus 11.29).

Oswald Chambers, (pastor e professor escocês 1974-1917), observou certa vez que o chamado de Deus “visa a tornar-nos ‘pão partido’ e ‘vinho derramado’. Deus nunca poderá tornar-nos vinho se resistirmos ao seu toque quando ele vier nos esmagar.” Para Deus nos transformar, para ele espremer tudo que há em nós que precisa se mudado, é necessário humildade. Mas, ao passarmos por este processo doloroso (Deus coloca o dedo em nossas feridas), que faz parte do processo de santificação do cristão, aprendemos a olhar os outros ao nosso redor com a mansidão de Jesus.

Há uma frase que diz: “Para se defender o orgulhoso ataca”. O humilde e manso pondera os fatos, ele não agride, ele ama, não arde em Ira, ele age com brandura e bondade, ele vence o mal com o bem.
“Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”. Romanos 12.20-21

Gosto dessa expressão “amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça” fazendo o bem a pessoa se perguntará: “Puxa, eu faço maldade, brigo, implico, acuso e ele me ama, mas faz o bem”. Agindo com mansidão as pessoas perceberão este fruto. Porque se depender de nós, pagamos o mal com mal, não gostamos de ser injustiçados e muitas vezes nos sentimos injustiçados sem a injustiça existir. Que possamos deixar que o Espírito Santo desenvolva em nossas vidas este Fruto, a Mansidão.

Oração:
“Pai amado, eu luto tanto com orgulho e com meus ‘direitos’ de querer pagar o mal com o mal, de querer me defender e me justificar. Perdoe-me. Peço-te que me ensines a ser manso e fazer a tua vontade, que as pessoas possam ver este fruto em minha vida para a honra e glória do Senhor. Em nome de Jesus. Amém”

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth