quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Santificação II

(O amor de Deus)

“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (1João 4.19)


Deus nos amou e não nos salvou porque não tinha mais nada de útil para fazer, mas porque, além de ser para a Glória de Si mesmo, Ele tem um propósito específico para cada um de nós. No entanto, nosso caráter deve ser transformado e moldado para que este propósito possa se cumprir em nossas vidas e assim realizar plenamente toda expressão do amor de Deus por nós e também para refletirmos este amor ao mundo.

Ao estudar a Bíblia, podemos perceber um comportamento recorrente: todos os que foram tocados por Deus no AT, ou por Cristo no NT, tiveram a mesma atitude de oferecer as suas vidas e se colocar em atitude de submissão a Deus. No caso de Cristo, todos queriam segui-lo e ir onde ele fosse para servi-lo. (Veja o exemplo do endemoninhado gadareno em Marcos 5.1-20). Essa atitude vinha da compreensão que o povo tinha a respeito de Deus: que Deus é Santo. O povo sabia que quando Deus se manifestava o que era impuro seria exterminado e o pecador era morto. Mas quando aquele que era tocado por Deus permanecia vivo, sabiam que Deus tinha um propósito para ele. (Veja o exemplo de Isaías – Is 6.1-13).

Quando Deus toca as nossas vidas e se revela a nós através de Cristo, oferece-nos a salvação através da fé em Jesus, mas as coisas não terminam aí. O apóstolo Paulo nos diz que antes éramos escravos do pecado e que Jesus “nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (1 Colossenses 1.13). Deixamos de pertencer à ditadura do pecado e à tirania de satanás. Tornamo-nos cidadãos do Reino de Deus, onde a lei é a da liberdade e motivação para realizar a vontade do soberano deste novo reino não é a opressão e o medo, mas o amor.

Agora conhecemos o Amor, porque Deus nos mostrou quem é o Amor e nos deu exemplos de como refletir este Amor e isso faz parte do processo de santificação do cristão. Nossa santificação não é uma obrigação ou um peso. Ela é a resposta de um coração agradecido pela liberdade. É uma resposta de amor ao amor daquele que nos amou primeiro: Deus.

Oração:
“Pai, obrigado pelo sacrifício de Teu Filho que me libertou da escravidão do pecado e me deu a liberdade do Teu amor. Senhor ensina-me a amar, sou como um vaso e Tu és o oleiro, quebra minha vida, transforma e usa oh Pai. Em nome de Jesus. Amém”.

No amor de Cristo,

Paulo Berberth



2 comentários:

  1. Encontrei seu Blog por acaso quando procurava na internet um determinado tema. Gosto muito dos seus comentários e vou adicionar aos mesu blogs preferidos. A Palavra bem apresentada é Fonte de Vida. Parabens e Obrigado.
    Carminha

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz!
    Vim conhecer seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou seguindo.
    Venha dar a honra de sua visita no PASTORAGENTE.BLOGSPOT.COM e, se quiser seguí-lo, vai ser uma alegria para mim.
    Lá eu exponho da forma mais realista e divertida possível as situações, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz e um 2010 abençoado para você e toda sua família.
    Abração!!!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth