quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Jugo desigual


“14 Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? 15 Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?” (2 Coríntios 6.14-15)

Resolvi escrever algo sobre este tema que é bastante discutido e que a meu ver, existe uma má compreensão do conceito dele, há "tabus" e um excesso de moralismo da parte de alguns grupos e um exacerbado liberalismo de outros. Primeiramente não quero tratar se é pecado ou não? Não é esse o meu objetivo, até porque adiantando a minha posição, não acho que seja pecado, acho uma enorme e grande burrice viver em jugo desigual. Porém o que pretendo tratar é do real conceito de viver em jugo desigual.

Muitos acham que jugo desigual acontece apenas na área de relacionamentos matrimôniais, assim como também pensam que acontece apenas entre crentes x descrentes. Pessoas usam textos fora do contexto para afirmar ser pecado (como dizemos em teologia, “forçar o texto dizer algo que não diz”). Essa é uma visão moralista e legalista do jugo desigual. No entanto eu simplesmente acho (como já afirmei acima) "uma grande burrice viver em jugo desigual". Mas também não significa que está tudo liberado, então pode ser feito qualquer coisa? Não, lembrem-se: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém, nem todas edificam...” (1Co 6.12 e 10.23) [Leia o capítulo 7 de Romanos]


Como em qualquer assunto OS EXTREMOS não são bons, na verdade são péssimas linhas de pensamentos para seguir, portanto, vamos analisando aos poucos e assim desenvolvendo o assunto de uma forma equilibrada evitando os extremos, certo? Porém não deixaremos de mencioná-los.

Se generalizarmos, dizendo que é pecado o relacionamento com um descrente, (automaticamente isso se aplica em todos os tipos e níveis de relacionamentos). Quais seriam as implicações disso? Vamos refletir:

Não poderei trabalhar numa empresa que o dono não seja evangélico e que os fins não sejam para ao Reino de Deus, porque isso seria pecado! Imagine eu trabalhando numa fábrica de cervejas ou quem sabe de cigarros? [Não, não, não... nem pensar é pecado]

Não poderia jogar futebol com amigos de infância que não são crentes, porque afinal de contas, relacionar-me com eles é pecado – Jugo desigual certo? [Hum....]

Também não poderia me relacionar com boa parte dos meus familiares, pois não conhecem a Deus. [Puxa isso é pecado.... Jugo desigual ... não temos o mesmo principio e objetivos]. ah..... Graças a Deus minha mãe e irmã são convertidas – imaginem não poder morar com elas e nem ao mesmo falar com elas? [Eu heim....]

Olhando para o outro extremo agora, uma visão Liberal do Jugo desigual. Não é pecado me relacionar com um descrente então, quais seriam as implicações?

Imagine uma sociedade entre uma Testemunha de Jeová e um Cristão. Digamos que fosse uma livraria. Um crê que Jesus Cristo é Deus e Salvador o outro não. Que tipo de literatura eles venderiam?

Já que está tudo “liberado”, um cristão que se diz genuíno e tal... poderia numa boa sair por aí ficando e tendo relações sexuais com qualquer tipo de pessoa seja crente ou não e se não der certo larga e arruma outro(a), ou quem sabe de vez em quando freqüentar o kardecismo, ou o budismo quem sabe mandar um Olá para o Allá, até porque Deus é um só e ter este tipo de relacionamento com as pessoas e grupo de pessoas não há nada de mal. Há?

Pense num casamento entre um católico e um cristão evangélico. Como seria a criação dos filhos? Batizaria ou não quando pequeno? E nas festas da família, teria ou não bebidas alcoólicas? E imagine a cabeça da criança um diz que a idolatria é pecado e o outro diz que não tem problema, quanto mais santo melhor. Como seria?

Pronto, pensamos nos dois extremos um lado moralista e um lado liberal. Agora como podemos então entender este assunto de uma maneira equilibrada? Penso que é necessário que se abra a mente para aquilo que realmente é relevante e importante. Não estou aqui fazendo apologia ao namoro, casamento ou qualquer tipo de sociedade “mista” (como alguns preferem chamar - se bem que eu mesmo não gosto desta expressão). É sim, muito ruim e totalmente incoerente buscar uma pessoa de diferente pensamento para se relacionar, isso teria conseqüências graves para o relacionamento seja ele no namoro, como para o casamento ou numa sociedade.

Não podemos fechar os olhos e nos iludir. Há nas igrejas os “Perdidos dentro da casa do Pai”. Isso é fato e realidade. E o jugo desigual não acontece apenas com crentes x descrentes, acontece também entre os próprios crentes. O que é então o Jugo desigual?

Jugo desigual é viver em Desigualdade.


Perceba... no meu “pequenino” período que tenho de cristão, posso perceber conflitos entre casais dentro da casa do Senhor que andam se arrastando um julgo super desigual. Sendo bem direto ao assunto, homens e mulheres que não acertam os passos devido a intolerância de um dos cônjuges ou de ambos. E isso vem causando uma crise tremenda em diversos lares, como por exemplo:

Há homens com verdadeiros chamados ministeriais e mulheres com forte inclinação para as mais diversas obras do Senhor, abandonado seu caminho de Glória e chamada, para poder se adequar a “satisfação” do outro. (ISSO É JUGO DESIGUAL) Se uma pessoa do casal não aceita o chamado do outro, não deveriam se casar (Isso é burrice é uma má escolha).

É penoso pensar que cristãos vivam este conflito e outros conflitos dentro do próprio lar, quando Jesus Cristo é aclamado “Senhor de Suas vidas”, quando rogam ao Deus todo poderoso que abençoe seu lar, contudo que Este mantenha bem longe seu intento na vida de seu par. Como pode abrir mão da Vontade de Deus? Vejo homens talentosos acovardando-se mediante as imposições de suas esposas e namoradas. De igual modo, mulheres preferem desistir dos seus sonhos dons e talentos e evitar o confronto com medo da perda. Deveriam ter pensado nisso antes. A frase: “Os opostos se atraem” é uma farsa! Na verdade quanto mais coisas em comum ambos tiverem, melhor será o relacionamento.

“Não vos ponhais em jugo desigual” (2 Coríntios 6.14) – no contexto, o apóstolo Paulo exorta aos cristãos “não terem comunhão com alguém que não seja Semelhante”, embora esteja advertindo sobre crentes e incrédulos, podemos também relacionar sobre a DESIGUALDADE DE OBJETIVOS. A Palavra “incrédulos” no grego (apístois), além de “infiel”, “descrente” (incrédulo), pode também ser traduzida como “sem confiança” (em Deus), ou seja, para ser incrédulo, basta o homem ou mulher anular a Deus a confiança que adquiriu ou devotou ao mesmo no princípio da sua fé. E não apenas aquele que nunca confiou.

Parece-nos que essa atitude não é exclusiva dos clássicos incrédulos que assim denominamos; cada vez mais é crescente o número de casais evangélicos que arrastam seus casamentos na intolerância, chegando ao ponto absurdo do divórcio, por não encontrarem em seus cônjuges o apoio devido, a mesma fé, os mesmos planos, sonhos e objetivos de vida. Aos Casais que assim encontram-se, Deus é o único que pode reverter essa situação.

O ‘X’ da questão está em que o problema propriamente dito começa a desenvolver-se muito antes do casamento. Muitas vezes no namoro, jovens casais costumam ser tolerantes DEMAIS com seus pretendentes, isolando-se, anulando-se, muitas vezes com um pensamento que perdura quase que unânimes a todos “Quando casar muda!” Que ilusão.

Muitos têm entrado em verdadeiros INFERNOS MATRIMÔNIAIS, por não seguirem este tão claro conselho de Paulo – Não vos PONHAIS em jugo desigual – notemos que Paulo de certo modo responsabiliza o cristão por seu futuro matrimonial, PERCEBA – Não é Deus que coloca o homem em desigualdade de cônjuge, é o homem que se coloca em dada circunstância, afinal para isto existe o livre arbítrio.

O que deve ser primordial na vida do cristão é a vontade de Deus em sua vida, porém muitos imprudentemente, por querer atender suas necessidades, ou sentimento, esquecem-se ou desprezam os conselhos divinos por causa do “EU” e desprezam claramente que não existem afinidades entre a pessoa pretendida e entram na “barca furada”. O Muito amar tem que estar em total harmonia com o muito tolerar, (e gente, cá entre nós) “É SÓ TER BOM SENSO” não é verdade? Para pensar um pouco:

  • Será que esta pessoa que eu almejo me fará feliz?
  • Será que esta pessoa que eu almejo, combina comigo?
  • Será que ela tem o mesmo objetivo de vida que eu?
  • O quanto posso tolerar tal falta?
  • O quanto suporto tal mania?
  • O que vale apena perder, o que posso e o que não posso abandonar?

Essas são perguntas que deveriam ser feitas de frente ao espelho e claro diante do Senhor, antes do servo do Senhor decidir propor uma união indissolúvel a pessoa amada, seja ela crente ou não.

O mesmo princípio aplica-se as outras formas e tipos de relacionamentos e sociedades. Eu escolho minhas amizades, a Bíblia diz que “as más companhias corrompem os bons costumes” (1Co 15.33) Seria bom ter então amizade ou sociedade com um ladrão? Com um Traficante? Ou quem sabe um mafioso? Seria tais pessoas consideradas idôneas?

Jugo desigual – Não entre nessa, seja sábio(a) e prudente busque orientação do Senhor e de pessoas maduras na fé, para saber o que é que deve fazer, qual direção deve seguir, que passo deve dar, qual decisão deve tomar. Que o Senhor continue nos abençoando e dando sabedoria pra discernir tais coisas, pois nosso presente e futuro dependem de nossas escolhas.

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

4 comentários:

  1. JUGO DESIGUAL...Não vale a pena!!! É trazer muito sofrimento para sua vida, sofrimento este que pode ser evitado fazendo boas escolhas...escolhas segundo a BOA, AGRADÁVEL E PERFEITA vontade de Deus. Nós fomos dotados de inteligência o suficiente para escolhêrmos, logo a responsabilidade é NOSSA!!!! Oremos antes de escolhermos...
    Graça e paz!!!!

    ResponderExcluir
  2. "Hebreus 4:12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espirito, e das juntas e medulas, e é apta para discenir os pensamentos e intenções do coração".
    - Deus nos conhece por inteiro e sabe o que é melhor pra nós, então vale a pena esperarmos na Santa vontade do Senhor Jesus, que conhece o nosso coração e saberá na hora certa atender aos nossos anseios....Povo Santo, Deus não falha e não tarda...é só esperar nEle......

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto, mas peço-lhes uma orientação.
    Eu fiquei 10 anos esperando, (dez) acreditem, orando, orando, pedindo ao Senhor q me desse alguém segundo ao coração de Deus e q nós pudéssemos sermos um para ocm o outro como Cristo nos orienta. Ocorre q satanás sempre enviava lobos ao meu caminho, lobos com pele de ovelhas, em mtas das vezes eu dicernia antes de iniciarmos um relacionamento.
    Entretanto, passei por tdo isso para ñ correr o risco de ser obrigada a viver com um jugo desigual, pq, realmente é terrível e eu ñ aconselho a ninguém. ( eu já vinha de um relacionamento com um alcoólatra) o qual eu sofri mto.
    Porém, casei-me um cum "crente" "Servo de Deus" mas, infelizmente após 1 ano e meio de casamento ele afastou-se dos caminhos do Senhor e tirou a capa. Tenho sofrido mto, ele bebe muito, acho q até me trai, (bom esse último nuna tive certeza) mas, confesso q sofro mto com toda essa desilusão, escolhi tanto e acabei escolhendo errado do mesmo jeito. Então acho q casamento é sorte mesmo. Tenho mtas amigas q ñ são cristã, q casaram-se no mundo e são felizes, tem maridos q as amam e respeitam, claro q problema tdo mundo tem e sempre terão.
    Mas, tenho buscado do Senhor sabedoria de como lidar com essa situação, pq confesso q já estou no limite. ñ qria me separar ( de novo) pq até aprece q eu q ñ presto, mas é incrível, o mesmo sofrimento q eu tive com a bebida do primeiro relacionamento ( ñ era casada civilmente) estou passando novamente, ñ seria mto azar?
    Fala sério.
    Só Jesus na minha vida mesmo, para me dá graça, força e sabedoria para lidar com essa situação.
    Se eu tivesse me casado com ímpio, com alguém q professasse a fé diferente da minha, poderia até dizer q tva pagando pela desobediência, mas ñ, eu obedeci, casei tdo embaixo da graça de Deus, nos conformes, sem máqcula ou pecado, com uma pessoa q se dizia servo de Deus, mas, infelizmente estou pagando um preço terrível. Sei q a culpa ñ foi de Deus, afinal eu q escolhi, mas..............devido a minha devoção ao Senhor e as orações e campanhas q fazia por essa causa, nunca imaginei q cairia num laço desses.
    Por vor, orem por mim, para q o Senhor liberte meu marido.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo cita o versiculo do Jugo desigual, mas o Senhor tbm diz que se possível, continue solteiro.... E NINGUEM QUER SEGUIR ESSE MANDAMENTO NÉ?.. por que a Culpa é sempre do dito jugo?? Namorei 3 anos com uma menina evangélica, e eu nao frequentava a igreja... sempre disse que nao iria para igreja por que ela quer.. EU VOU QUANDO DEUS ME CHAMAR..por que eu nao tenho medo de falhar com voce nem com seu Pastor, meu medo é falhar com Deus.. nao vou ser Hipocrita com Deus jamais.. no final, fui contemplado com uma experiência única com Jesus Cristo.. cada vez que eu conheço o Senhor de todos NÓS.. mais livre para amar eu me sinto.. INCLUSIVE AMAR UMA PROSTITUTA... se for da vontade dele... ELE SE PREGOU NAQUELA CRUZ.. foi para LIBERTAR ALMAS..e nao para aprisiona-las...

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth