segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Alegrai-vos e Chorai-vos


“Alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram” (Romanos 12.15)

A Bíblia realmente é incrível. Este versículo embora curto possui grandes riquezas nas palavras, falo isso porque muitas vezes detalhes importantes podem simplesmente passar despercebido. A grande discussão que ouvimos dentre os pregadores deste versículo é o que é mais difícil cumprir: Alegrar-se com os que se alegram? Ou Chorar com os que choram? Penso que os dois são difíceis e os dois devem ser cumpridos.

Boa parte das versões bíblicas em português traduz os verbos como imperativo, porém no grego ambos estão como presente infinitivo ativo. O verbo infinitivo é considerado um substantivo verbal, ambas as palavras estão no presente. E o presente denota uma ação contínua ou num estado incompleto. Talvez por isso a preferência de traduzir como imperativo. “Alegrai-vos”, “Chorai-vos”. Mas podem ser traduzidos como “Alegrem-se” e “Chorem”. A BIBLIA VIVA traduz o versículo assim: “Quando os outros estiverem alegres, alegrem-se com eles. Se estiverem tristes, participem de sua tristeza”.

Acima de se Alegrar e de Chorar, há um tema maior nesta perícope (Rm 12.9-21). O Amor. Leiamos os versículos 9 e 10. “ 9 O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. 10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”. Ou seja, aquele que Ama: Se alegra com quem está alegre e chora com quem chora. A Empatia está em baixa e com o passar do tempo as pessoas estão cada vez mais insensíveis às coisas, não se importam nem com alegrias e nem com os choros alheios. Vejamos então as duas situações e o que podemos extrair do texto proposto.


“Alegrai-vos com os que se alegram...” 15a

Lembro-me do inicio de minha conversão. Sempre fui de evangelizar e gostava muito de contar as minhas experiências de evangelização, das reações das pessoas, quando elas aceitavam bem e quando elas desprezavam, sentia-me feliz ao evangelizar e aproveitar as oportunidades. Porém fui repreendido por algumas pessoas e elas alegavam assim: “Paulo, você tem que falar menos sobre isso, porque as pessoas podem achar que está se gloriando com as coisas que está fazendo”.

Nunca ninguém entendia a minha alegria e acho que ainda é assim, infelizmente! Como é que pode alguém não se alegrar com alguém que está fazendo a obra de Deus? Ao falarem isso pensava, tal pessoa já está achando que estou me gloriando e assim os julgamentos aparecem, isso me entristecia muito.

Formamos a Igreja de Cristo, somos um corpo, e devemos sentir o que o outro sente. A alegria dele deve me contagiar. A vitória dele é a minha. O Apóstolo Paulo deixa isso claro em 1 Coríntios 12.26 “De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam”.

“...chorai com os que choram.” 15b


Chorar pra mim já é difícil. Imaginem chorar com os que choram? Mas na medida em que vou tendo minhas experiências de ministério e de vida cristã vou aprendendo a “chorar” com as pessoas. A grande questão é que estamos tão ocupados em nosso mundo egocêntrico que não temos “tempo”, “vontade” e muito menos “interesse” em se importar com os choros e tristezas alheias.

Ouvi certa vez que o contrário de amar não é odiar. É ser indiferente, é desprezar. Talvez isso tenha sentido. O apóstolo Paulo escreve sobre “Levar as cargas uns dos outros...” (Gálatas 6.2). Jesus é o nosso mestre, o nosso modelo supremo. Nos evangelhos podemos citar várias situações em que ele se importou com os choros das pessoas.

Ele se compadeceu de uma multidão que estava aflita e faminta que estavam como ovelhas sem pastor. Multiplicou o pão duas vezes. Noutra ocasião ele chorou literalmente pela morte de um amigo, Lazaro, mas depois consolou os corações de todos ressuscitando ele. Também se importou com cegos, aleijados, prostitutas, ladrões, endemoniados e muitas outras pessoas e muitas outras ocasiões e muitas delas nem foram registradas, mas as que foram registradas serve-nos como exemplos de Amor e Empatia.

Nosso desafio é olhar a alegria do próximo e simplesmente sentirmos tal alegria como se fosse a nossa. É sentir sua dor como se fosse a nossa. Que desafio!!!
“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles” (Mateus 7.12)

Oração:
“Senhor, como é difícil ter um coração duro, peço-te que quebre o meu coração para que saiba amar o meu próximo como o Senhor nos ensinou. Independente de quem seja, que possa alegrar-se com os que se alegram e chorar com seu choram. Em nome de Jesus Cristo. Amém!”

No amor de Cristo,

Paulo Berberth

2 comentários:

  1. Parabéns bela escolha de tema... que Deus possa nos fazer a cada dia a sua imagem e semelhança principamente para com nosso próximo.

    ResponderExcluir
  2. É...Vivemos dias de tanta frieza, tanto egocentrismo, indiferença...que causamos espanto quando simplesmente: AMAMOS. É como se atitudes de carinho,de afeto, amor, preocupação estivessem "fora de moda"...Hoje em dia, quanto tem valido uma vida, pela qual o nosso Salvador morreu??? Quase nada, em alguns casos, nada...Mas isso já estava previsto, em Mateus 24:12 - "E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará." Como filhos de Deus, mostremos o amor que Ele tem derramado em nossos corações!!! Simplesmente AME...Independente da recíproca!!!Ame, ame, ame...em nome de Jesus!!!!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, deixe seu comentário!
No Amor de Cristo,
Pr Paulo Berberth